01/08/2018
Ano 21 - Número 1.087

 

ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões



ORA DIREIS, ELEIÇÕES

Francisco Simões, colunista - CooJornal




Alguns tinham como quase certo o hexa no Mundial de futebol e deu no que deu. Assunto encerrado, esperança adiada pelo menos para daqui há mais quatro anos, claro.

Agora vamos caminhando para as eleições consideradas majoritárias, as presidenciais. O Brasil precisa e muito de renovar, mas renovar mesmo não apenas substituir um por outro ou como dizem, seis por meia dúzia, o que não renderá nada.

Os candidatos vão surgindo, alguns já tendo sua candidatura confirmada etc. O que ainda eu não vi nem ouvi foram propostas sérias, mas sérias mesmo, não as “embromativas” de sempre.

Tem político fazendo discurso e mudando sua posição conforme o “ritmo da dança”. É candidato considerado sério? Jamais. Isto afinal é o que mais temos visto e ouvido. Candidatos querendo atrair ora a direita ora a esquerda e assim vão fazendo o seu joguinho político de candidato.

Pobre país que não pode até agora, se aproximando a época das eleições, contar com algum candidato realmente explícito, que tenha propostas claras e definitivas, nas quais possamos acreditar e confiar. Crer e ter confiança para votar certo de que o país terá alguém que vai mesmo mudar o que precisa ser mudado e fazer o que precisa ser feito.

Eu não sou político e nem me atrai muito o assunto, só escrevo hoje sobre as eleições creio que mais por falta de outro assunto no momento em minha cabeça. Ademais eu não sou a pessoa mais indicada para dar conselhos sobre o tema ou sugerir este ou aquele nome. No momento, repito, eu não tenho nenhum nome a sugerir.

Os Partidos continuam agindo como sempre o fizeram, ou seja, esperar de novo o quê? Se tem candidato querendo até atrair parte da esquerda, mas agindo como um reacionário dos piores por outro lado o inverso é verdadeiro também, ou seja uma tremenda salada mista.

Política é coisa séria embora neste país de há muito não o seja. As próximas eleições para Presidente podem nos trazer alguma esperança de tentarem por o Brasil no rumo certo (ou mais ou menos) ou mesmo empurra-lo quem sabe ainda mais para um abismo que não desejamos e torcemos para que não ocorra.

O fato é que está difícil “acertar” ao votar nas próximas eleições. Pelo menos até agora, convenhamos. Alguns amigos insistem na tecla do tal “votar certo”, todavia eu gostaria de saber o que isto significa para eles com o quadro de candidatos que temos aí até agora.

Quem sabe alguém me ilumina as ideias e me faz acreditar que temos sim algum candidato em que possamos confiar no seu todo. Desafio a me indicarem alguém. Gostaria até de estar errado e poder dar a mão à palmatória. Enfim vou aguardar.

Antes me permitam dizer que estou a rir, mas a rir para não chorar, pois vejo políticos que estão a se lançar candidatos mesmo sem terem ainda um ou uma vice para sua chapa. Barbaridade. Não me lembro de caso semelhante ocorrido antes.

O excesso de candidatura já mostra que desejam é ir com muita sede ao pote, não trabalhar para o bem deste país que está necessitando tanto de um comandante realmente sério e competente, mas “meter a mão na cumbuca”. Desculpem, porém estou procurando ser autêntico e não me deixar atrair pelo canto de sereia da maioria desses candidatos que estão por aí.

Então eu encerro repetindo o título que usei, “Ora direis, eleições”. Até lá quem sabe tudo muda, todavia me parece muito difícil. Afinal como podemos confiar em candidato que até promete soltar da prisão ex-presidente encarcerado?! Estão apelando de todo jeito. Aguardemos amigos e que até surja mesmo algum candidato, político ou não, em quem possamos confiar de verdade.







Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.