01/09/2019
Ano 22 - Número 1.139



ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões



ANSIEDADE, O MAL DOS TEMPOS



Francisco Simões, colunista - CooJornal

 
Gente amiga, eu não sou médico, nunca fui. Em verdade sou um cidadão bem vivido, afinal passar dos 80 anos confesso que não é para qualquer um. O tempo o próprio viver acabam por nos levar àqueles especialistas e é claro que também aconteceu comigo.

Frequento uma vez por ano o meu médico que eu chamaria de clínica geral, o homeopata Dr. Carlos de Faria, isto já há mais de 30 anos. Também há mais de 12 anos acabei tendo que ir ver um cardiologista, como quase todo mundo após certa idade, e o meu é o Dr. Ricardo, também excelente em sua especialidade.

Sobrevivo tomando os cuidados necessários para evitar maiores problemas e assim vou vivendo, há alguns anos sem ingerir bebida alcoólica e nem mesmo os tais refrigerantes que eu confesso só são “inocentes” em suas propagandas. Afinal eu sou neto de Francisco de Oliveira Simões, criador e produtor do melhor Guaraná que já tomei, o Guaraná Simões, podem crer. Nenhuma propaganda, pois o dito não mais existe há muitos anos.

A vida de cada um de nós leva àasituações por que passamos ou as quais chegamos por decisão pessoal. Elas podem com o tempo gerar em nós emoções que não desejamos, porém que acabam por se tornar inevitáveis. Tenho lido muito a respeito não só para me informar como tentando evita-las, todavia algumas acabam por se tornar inevitáveis, podem crer.

A ansiedade é uma dessas emoções que hoje me afligem em momentos vários. Já conversei sobre elas com meu médico há muito tempo, como disse o Dr. Carlos de Faria. Ele até me receitou e faço uso hoje em dia de uma fórmula que busca abrandar os efeitos maléficos daquela emoção.

Não só sempre confiei no meu médico como em tudo que ele me indica. O que nos leva a eventualmente estar com a tal de ansiedade é o nosso comportamento que pode ou não gerar aquela emoção. De um tempo para cá percebo que fico meio ansioso em determinadas situações mesmo querendo evitar isto, porém costuma ser mais forte que eu.

Não julguem precipitadamente que a idade avançada é que leva a esta emoção, afinal ainda hoje, quando escrevo este texto, ou dia 19/Agosto, acabo de ler uma matéria excelente que afirma ser a ansiedade mais intrínseca a jovens até quase os 30 anos.

Jamais eu pensaria nisto. Jovens a sofrer ansiosos, mas por outro lado o que vemos acontecer no nosso dia a dia realmente nos faz pensar que isto é bem possível sim. A matéria escrita por quem entende muito do assunto afirma estarem os jovens mais propensos a sofrer de ansiedade. Talvez isto seja um sinal dos tempos que vivemos agora.

A correria, a pressa, uns hábitos meio estranhos, mas que vão se arraigando nas pessoas e o que vejo, ouço etc, é mesmo assustador. Barbaridade, amigos e amigas, ainda hoje também eu fiquei sabendo que um morador do condomínio onde tenho uma casa e que já fora síndico do mesmo, não resistindo a tanta pressão, talvez por pura imaginação dele, acabou por se matar. E assim temos visto muitos fazerem. Lamentável.

Hoje ligamos a TV, especialmente logo de manhã cedo e o que vemos são notícias sobre crimes, mortes, assaltos e tome violência. Já viram um pai matar a esposa ou filhos ou então vice-versa? Pois isto acontece hoje em dia. Por quê? Confesso-me meio ignorante, mas pode ser o tal “sinal dos tempos” que alguns garantem acontecer. Parece que a ansiedade e a tal de depressão costumam seguir de mãos dadas, pode ser.

Infelizmente a ansiedade também nos tem chegado via nossos ouvidos ao tomarmos conhecimento de ruídos consecutivos que identificamos como eventuais tiros de quando em vez. Não importa que moremos onde nada ocorra que justifique este fato, todavia não desconhecemos que mais além ocorrem confrontos vez ou outra.

O susto, o suspense, a expectativa do fim de tais ruídos acabam por nos levar a uma emoção nada positiva naturalmente. Enquanto os ruídos perduram a ansiedade é mesmo inevitável. Fico imaginando quem mora nas comunidades, por exemplo, no Rio, ou mesmo aqui, onde tudo deve ocorrer o que não passam durante os tais confrontos. Que mundo é este ao qual fomos transportados a algum tempo!

Fico com pena das crianças, como nosso netinho de apenas dois anos e meio. Que país ou que mundo ele vai herdar. Gente amiga, antes de encerrar este texto, eu faço chegar até vocês que me leem uma notícia bem fresquinha. Acabo de saber que vou ser avô novamente, pois é, e o bebê ou a bebê deve nascer creio que ali por março do próximo ano. Haja mesmo ansiedade a esta altura, mas esta é bem saudável, claro.

Então vamos terminar este texto bem para cima. Que seja bem-vindo ou bem-vinda, pois.



Comentários sobre o texto podem ser enviados diretamente ao autor, no email fm.simoes82@gmail.com







Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.