16/10/2020
Ano 23 - Número 1.193




ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões



MEUS PESADELOS



Francisco Simões, colunista - CooJornal


Outro dia resolvi consultar alguns amigos e amigas sobre os meus pesadelos que ocorrem eventualmente, mas me assustam e leva minha esposa, que dorme ao meu lado, a acordar e se assustar também.

Isto quando ela, via de regra, não acorda com algum “chute” meu ao final do tal pesadelo. Não sei e nunca entendi o motivo que os leva a acontecer então consultei os bons amigos e amigas.

Digo que no sonho tipo pesadelo eu me sinto sempre atacado ou por alguém ou por alguma coisa. Nunca se define exatamente o que me ataca. É algo bem estranho mesmo e me assusta pra valer, daí eu mexer a perna me defendendo nem sei mesmo do que.

Resolvi selecionar uns poucos amigos e amigas e escrevi para eles e elas contando como os pesadelos vêm e vão. Geralmente eu sou acordado por minha esposa que procura se defender de meu eventual chute, ou se estou virado para o lado oposto ao dela, para me acordar e eu silenciar do gemido ou do grito que dei.

Alguns procuraram passar-me suas eventuais experiências também com pesadelos e outros e outras disseram apenas que nunca tiveram este tipo de sonho horrível. Ainda bem gente boa, pois ele incomoda mesmo.

Respondia a quem me escreveu como sempre faço, pois julgo não só ser educado como nunca se deve receber algo sem agradecer ou fazer algum comentário se for o caso, o não fazer a mim parece meio mal educado. Assim eu escrevo de volta sempre que recebo algo.

Mas foi o bom amigo e antigo colega William Cortesia, pessoa da melhor qualidade com quem trabalhei no Treinamento de Pessoal do BB, ou o antigo Desed, que recebi uma mensagem procurando me orientar, analisando o que são e como podem ocorrer os pesadelos e como fazer para tentar se livrar deles, ou pelo menos abrandá-los.
Entendendo que o amigo Cortesia deveria estar certo procurei seguir mesmo à risca suas orientações. Garanto que me dei bem. Afinal no centro dos procedimentos estava a respiração compassada da yoga que por alguns anos eu pratiquei e algumas ainda a pratico.

Claro que ele em três ou quatro mensagens a mim dirigidas teve a gentileza de me orientar direitinho explicando o que costuma levar o nosso organismo a reagir daquela forma quando dormimos. Uma das eventuais causas é o viver sob pressão seja do que for ou de qualquer ordem.

Em troca de algumas mensagens nos entendemos direitinho e fiquei de depois telefonar para ele. Cortesia deve ser pouco mais novo do que eu e o respeito muito por isso entendi bem o que ele disse e levei muito a sério suas instruções.

Agradeço de coração ao bom amigo sabedor que sou de sua postura sempre responsável e, sendo eu católico por formação familiar, ainda mais confio nas instruções do bom amigo, pois eu de há muito também pratico fatos e atitudes por ele sugeridas. Obrigado amigão.

E quanto a você se um dia conviver com os tais pesadelos como ocorre comigo nestes tempos pode me escrever que conversaremos e eu passarei orientações que comigo estão dando muito certo. É isso aí.
 





Comentários sobre o texto podem ser enviados diretamente ao autor, no email fm.simoes@terra.com.br 






Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação eletrônico ou impresso sem autorização do autor.