01/02/2003
Número - 300



 


Airo Zamoner
  


UM PRATO DE LIVROS

– Viu só? Agora o governo é nosso! Nosso!

– E daí?

– Como, e daí? Agora chegou a hora do povo. Agora o nosso governo vai matar a nossa fome!

– Quem está com fome?

– Não seja alienado e anti-social, cara! São milhões! Ouviu bem? Milhões de brasileiros passando fome...

– Eu acredito!

– Finalmente! Já estava preocupado com sua posição, um tanto esquisita... Então acredita que o governo vai...

– Calma! Não se afobe! Acredito, mas é na fome que o faminto nem sabe que tem.

– Eh, rapaz! Que que é isso agora? O faminto sabe e sabe muito bem que tem fome, ora essa!

– É! E eles sobreviveram tantos anos, esperando até chegar um governo que finalmente descobrisse isso? Me diga uma coisa. Por que ele, o faminto, não consegue matar sua fome?

– Ora essa! Não consegue porque... Não! Ele sabe... Só não pode, porque... Ora essa! É que as injustiças sociais... Quero dizer, a marginalização... A globalização... Veja, o FMI, digo, os banqueiros. Não... Espere... Que pergunta estapafúrdia, homem!

– Você é um privilegiado, estudou, tem múltiplos conhecimentos. Você vai passar fome algum dia?

– Eu sei me virar... mas acontece que...

– Agora sim você falou algo consistente. Você aprendeu a se virar.... Ótimo! É isso que precisamos fazer com urgência...

– Isso o que? Você tá louco? Quer mandar os nossos pobres famintos se virarem? Que falta de consciência social! Que absurdo!

– Não se precipite. Olhe aqui! Eles não sabem, mas não é um ou três pratos de comida que precisam...

– Mas você é mesmo um cara insensível. O que é então?

– Eles precisam de outra coisa. Veja...

– Ah! Você é um... Você está me irritando, sabia?

– Pare! Pare já! Escute! Você pode escolher seus próprios famintos. Saia por aí e escolha os seus. Dê a eles comida, roupa, comida, higiene, comida, água, comida, luz, comida, lazer, comida, casa, comida...

– Não precisa exagerar....

– Vá fazendo isso, mas não pare nunca. Se parar, voltam todos os milhões de famintos...

– Qual é sua brilhante idéia, então?

– Diga pro governo dar a cada um deles, uma única vez, um prato bem cheio de livros.



Leia, também, nesta edição: CONVERSA ENTRE MINISTROS



(01 de fevereiro/2003)
CooJornal no 300


Airo Zamoner
escritor, colunista do jornal O ESTADO DO PARANÁ
airo@protexto.com.br