Alberto Cohen


 

                   01/09/2016
---






Divagações sobre o amor
____________________________


E se o amor de fato não existe,
é coisa imaginária, tão somente
crendice tola de uma certa gente
que precisa de amor para ser triste?

O que dizer então do amor eterno
a mudar de parceiros facilmente,
como roupa trocada simplesmente
por outro figurino mais moderno?

Amor... Amor... Quem sabe a impostura
que torna deus aquela criatura
vulgar com uma vida pequenina.

Mentira sofismada a cada instante,
será o amor, enfim, velho farsante
que nem começa, mas sempre termina?


 Alberto Cohen

 

 


 


 

Outros de seus poemas em Expressão Poética.

Leia, também, seus poemas em Escritores e Poetas.


E suas crônicas no CooJornal.


Sua bibliografia está aqui.