Anderson Fabiano

 

Atualizado em 09/02/2008
---




silêncio

________________

(Pensando em Billie Holliday)


Encontro árvores
Centenárias
Roubando a luz
Que não me chega mais
Bem aqui, na cabeça.

Corpos pendem, como frutas
Estranhas frutas
Fossilizadas
Pela memória
Que escapa entre dedos.

Sacudo árvores
Solenes, imóveis
Na esperança
Tola e vã,
De rever o azul.

Folhas poucas
Premiam o esforço
Despencam como neve
Resvalam na face
Incrédula
E se vão na brisa.

Ficam a impotência,
O medo,
A ausência do depois
E a desserventia
Da alma aturdida.

Água benta dos olhos
Sulca a essência
Arde no peito
E um eco surdo
Se faz resposta.

Nenhum sorriso
Ou olhar
Ou gemido
Ou palavra
Cai da árvore.

 

Anderson Fabiano


 





Anderson Fabiano é carioca desde agosto de 48, criado entre Cascadura e Leblon. Atualmente, encontra-se  refugiado em Maricá.

Escritor, publicitário, jornalista, consultor de marketing, programador visual, vascaíno e mangueirense.

Livros publicados:
- "Olhando para dentro de mim" – Poesias – 1986 - Esgotado
- "Dando soco no sereno" – Crônicas - 2006

Próxima publicação:
"Amo sim. Trajetórias da paixão" – Prosas poéticas, Poesias e Cartas, com lançamento previsto para abril de 2008

e-mails: fabiano137@gmail.com  ou af.escritor@hotmail.com


● Conheça suas crônicas CooJornal.