Arlete M. dos Reis



 

Atualizado em 24/05/2008
---

 



LÁGRIMAS
_______________


Deixe as lágrimas rolarem
Pelo teu rosto sentido,
Tentar sufocá-las não deves
Não as reprima, amigo.

Todos nós temos desgostos,
É penoso ao coração.
A lágrima é um calmante
Que vem a alma lavar,
Nos dando ânimo outra vez
Para mais mágoas guardar.
Nem só de tristeza se chora,
Da vida a lágrima faz parte,
Às vezes a alegria é tanta
Que também nos faz chorar.

 

Arlete Moreira dos Reis

 

 


 


arletemr@ig.com.br

Arlete Moreira dos Reis, foi uma menina sonhadora.Tudo para ela foi muito difícil. De família humilde, o pai cearense e a mãe operária do Moinho Inglês, ela achava que embaixo da enorme pedreira, que era o fundo do quintal de sua casa, havia pessoas conversando, tocando, e colocava o ouvido na pedra para ouvi-las todos os dias. Era sua imaginação. Não tinha muito com o que brincar e para ela e o irmão conjecturarem o que os habitantes subterrâneos estavam fazendo era a maior distração e também o segredo dos dois.

"Continuo sonhando em ver um Brasil sem fome, sem analfabetos, com suas riquezas preservadas, seus velhos e índios respeitados. Peço a Deus que não seja uma utopia."
 

Leia suas crônicas no Coojornal: www.riototal.com.br/coojornal/arletereis.htm  e suas poesias em Escritores e Poetas: www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm