Ano 14 - Semana 722
 



Outros artigos sobre NUTRIÇÃO


 

Casa
Comportamento
Curiosidades
Estilo
Informação
Pensamentos
Reflexão
Saúde
Sorria 


 



 

12 de fevereiro, 2011
---

Preparação Higiênica dos Alimentos



1. Preferir alimentos tratados com objetivos higiênicos

frutas, riototalApesar de muitos alimentos serem melhores em estado natural (por exemplo, as frutas e as hortaliças), outros só são seguros quando estão tratados. Assim convém sempre adquirir o leite pasteurizado em vez do leite cru e, se possível comprar frangos (frescos ou congelados) que tenham sido tratados por irradiação ionizante. Ao se fazer compras deve se ter em mente que os alimentos são tratados não somente para que se conservem melhor como também se tornem mais seguros sob o ponto de vista sanitário. Alguns alimentos que se consomem crus como as alfaces, devem ser lavados cuidadosamente.

2. Cozinhar bem os alimentos

Muitos alimentos crus (em particular os frangos, a carne, o leite não pasteurizado) estão a princípio, muito contaminados por agentes patógenos. Estes podem ser eliminados se cozinhar bem os alimentos. Não se deve esquecer que a temperatura aplicada deve chegar pelo menos a 70ºC em todo a massa do alimento (internamente e externamente). Se o frango assado se encontrar cru junto ao osso, deverá se proceder novo aquecimento. Os alimentos congelados (carne, frangos e pescados), devem ser descongelados completamente antes de serem cozidos.

3. Consumir imediatamente os alimentos cozidos

Quando os alimentos cozidos são deixados à temperatura ambiente, os microrganismos começam a se multiplicar. Quanto mais se espera, maior o risco. Para não se correr perigos desnecessários, convém comer os alimentos imediatamente após cozidos.

4. Guardar cuidadosamente os alimentos cozidos

geladeira, riototal Quando se quer guardar as sobras de alimentos cozidos, deve ser previsto seu armazenamento em condições de calor (acima de 60ºC) ou de frio (abaixo de 10ºC). Esta regra é vital se se pretende guardar comida por mais de 4 ou 5 horas. No caso de alimentos para lactentes, o melhor é não guardá-los por qualquer tempo. Um erro muito comum e principal causa de muitas intoxicações alimentares é colocar na geladeira uma quantidade excessiva de alimentos quentes. Em uma geladeira abarrotada, os alimentos cozidos não podem ser esfriados internamente tão rápido quanto o desejado. Se a parte central do alimento permanece quente (a mais de 10ºC), por um período longo, os microrganismos proliferam e alcançam rapidamente uma concentração suficiente para causar enfermidades.

5. Reaquecer bem os alimentos cozidos
panela, riototal
Esta regra é a melhor medida de proteção contra os microrganismos que podem ter proliferado durante o armazenamento (um armazenamento correto atrasa a proliferação microbiana, porém não os destrói). Também neste caso, um bom reaquecimento implica que todas as partes do alimento alcancem uma temperatura de 70ºC.


6. Evitar o contato entre os alimentos crus e os cozidos

Um alimento bem cozido pode também se contaminar com um mínimo contato com alimentos crus. Esta contaminação cruzada pode ser direta, como a que ocorre quando a carne crua de frango entra em contato com alimentos cozidos. Mas também pode ser mais sutil. Assim por exemplo, não se deve jamais preparar um frango cru e após utilizar a mesma tábua de cortar carne e a mesma faca para se cortar o frango cozido; do contrário, poderiam reaparecer todos os possíveis riscos de proliferação microbiana e de enfermidade consequente do que havia antes de se cozinhar o frango.

7. Lavar as mãos freqüentemente

Deve-se se lavar as mãos antes de se iniciar o preparo dos alimentos e após qualquer interrupção (em particular se for trocar as fraldas do bebê e dar de mamar). Se estiver preparando certos alimentos crus, tais como pescados, carne ou frango, deverá lavar as mãos antes de manipular outros produtos alimentícios. Em caso de infecção das mãos, deve-se cobri-las antes de entrar em contato com os alimentos. Não se deve esquecer que certos animais de companhia (cães, pássaros e, principalmente tartarugas), albergam frequentemente patógenos perigosos que podem passar às mãos das pessoas e dessas aos alimentos.

 8. Manter cuidadosamente limpas todas as superfícies da cozinha
balde, riototal
Como os alimentos se contaminam facilmente, convém manter-se limpas todas as superfícies utilizadas para prepará-las. Não se deve esquecer que qualquer desperdício, migalha ou mancha pode ser um reservatório de germes. Os panos que entram em contato com pratos ou utensílios devem ser trocados diariamente e fervê-los antes de voltar a usá-los. Também devem lavar-se com frequência os panos de chão.


9. Manter os alimentos fora do alcance de insetos, roedores e outros animais

Os animais podem transportar patógenos que originam enfermidades alimentares. A melhor medida de proteção é guardar os alimentos em recipientes bem fechados.
 

10. Utilizar água pura
filtro, riototal
A água pura é tão importante para a preparação dos alimentos quanto a de beber. Se a fonte de água não é confiável, convém ferver a água antes de utilizá-la nos alimentos ou de transformá-la em gelo para refrescar bebidas. Deve-se sobretudo ter cuidado com a água utilizada para o preparo de comida para lactantes.
 

 

Material organizado por:
Ivany Rodrigues de Moraes - CVS/SES-SP
Prefeitura de Guarulhos


 





Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br