Ano 9 - Semana 435
 

 Andréa Abdala Frank é nutricionista,
 Prof. do Instituto de Nutrição UFRJ 
  



Outros artigos sobre NUTRIÇÃO


 

Casa
Comportamento
Curiosidades
Estilo
Informação
Informática
Pensamentos
Reflexão
Saúde
Sorria 


 



 

30 de julho, 2005
---

Andréa Abdala Frank
 

Alimentação e Doença de Parkinson:
Como pensar em prevenção?


 O Parkinson é entendido como uma síndrome, de diversas causas possíveis, responsável por um quadro clínico basicamente constituído por pobreza dos movimentos corporais, rigidez, tremor e instabilidade postural. Os distúrbios motores (pernas e braços, principalmente) são observados com freqüência durante o caminhar, até mesmo com pequenos passos, acometendo, além, a autonomia pessoal na alimentação, no vestir-se e na higiene pessoal. Com o avanço da doença, as alterações neurológicas e motoras acabam comprometendo a deglutição dos alimentos e o processo de evacuação do bolo fecal.

Dentre as causas reconhecidas cientificamente no diagnóstico da Doença de Parkinson, alguns estudos sugerem erros alimentares como também responsáveis, ou co-responsáveis, pelas modificações e desordens degenerativas vistas no cérebro envelhecido. Para Mattson e colaboradores (2002), do Laboratório de Neurociência do Instituto Nacional de Pesquisas Gerontológicas, os mecanismos de neuroproteção podem ser evidenciados pela ingestão moderada de calorias na dieta e pelo consumo adequado de vitaminas antioxidantes, dentre estas o adequado consumo de ácido fólico e vitamina E, iniciado na idade jovem.

Estudos epidemiológicos apontam o elevado consumo de gordura, do tipo animal, colesterol e ferro na fase adulta como um importante fator de risco para a Doença de Parkinson (Johson e coaboradores, 1999). Embora haja necessidade de maiores estudos nesta área, o papel da alimentação mais saudável já se encontra consolidado entre os pesquisadores. Agora basta que façamos nós a nossa parte.


Fontes alimentares de:milho - fonte de vitamina E

Vitamina E - germe de trigo, semente e óleo de girassol, milho e soja.


soja - fonte de vitamina E
Ácido fólico ou folato - feijões, vegetais de folhas verdes como o espinafre, o aspargo e o brócolis e nos cereais integrais na forma de grãos e flocos, principalmente.


 


Seu artigo será bem recebido em feliz-idade@riototal.com.br


Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br