Andréa Abdala Frank  

Sem comida, 
          nada feito!


         O uso diário de diferentes tipos de medicamentos, normalmente observado nos idosos, pode acarretar muitos prejuízos à saúde considerando seus efeitos colaterais e suas implicações no aproveitamento dos nutrientes vindos da alimentação. Não é incomum se observar quadros de desnutrição entre pessoas com idade avançada resultante destas combinações. Estudos observaram que o consumo de três ou mais drogas por dia pode levar à grave perda de peso.

       Pacientes que apresentaram perda de peso foram também os mais propensos a reclamar de problemas gastrointestinais, boca seca e dificuldade para engolir, refletindo provavelmente efeitos colaterais das drogas usadas. Pesquisa da Universidade de Nova York com  938 pessoas com idade média de 77 anos verificou que o risco nutricional, como a perda de peso em pacientes não obesos, aumentava quando o número de medicamentos consumidos regularmente era de, no mínimo, três ao dia. O risco era ainda maior em pessoas que tomavam cinco ou mais medicamentos.

       A má nutrição que ocorre no idoso pode ser devida às alterações fisiológicas do envelhecimento, às condições sócio-econômicas, às doenças e à interação entre nutrientes e medicamentos. Independente das causas, pacientes idosos desnutridos necessitam de cuidados nutricionais.
Medicina (Ribeirão Preto), 1998.

    Considerando a essencialidade da terapia medicamentosa e a manutenção do perfil nutricional podemos seguir as seguintes orientações:

a) Coma pouco e várias vezes ao dia. Todas as refeições diárias devem ser de baixo volume, e nos casos de desconforto gástrico procure alimentar-se com preparações na consistência líquida ou pastosa, de 2 em 2 horas, até a melhora do sintoma.

b) Em pelo menos três refeições alimente-se com proteínas de alto valor biológico encontradas no leite, iogurtes e carnes de frango, considerando o teor de gordura dos mesmos.

c) Caso prefira as sopas, procure fazê-las com legumes variados, acrescentando batata inglesa, massas, cereais, como o arroz ou com feijão.

d) Para melhorar a aceitação das frutas, prepare-as como cremes procurando evitar o açúcar ou utilizando adoçante.

e) Não se esqueça de beber água fresca a cada uma hora, mesmo que seja em pequenos volumes. Sucos e refrescos são necessários. Evitem o uso freqüente de água gasosa e dos refrigerantes. Os infusos como o chá e o mate devem acompanhar somente uma refeição por dia, com exceção do almoço e do jantar ou quando na refeição houver leite, queijo ou iogurte.

f) Pães e biscoitos ficam de acordo com a aceitação, desde que sem recheios ou com excesso de margarina. Concluindo: evitem ao máximo as frituras.

        Não devemos nos esquecer que é de fundamental importância que os profissionais de saúde, os próprios idosos ou mesmo os familiares acompanhem de perto a questão da medicação e da alimentação e que estejam cientes e atentos impedindo qualquer comprometimento nutricional.

"O passado terminou. Devemos aprender com ele e deixá-lo ir. O futuro ainda não chegou. Devemos fazer planos, mas não perder tempo em preocupar-nos com ele. De nada vale preocupar-nos. Quando paramos de ruminar a respeito do que já aconteceu, quando paramos de preocupar-nos com o que talvez nunca aconteça, então estaremos vivendo o presente e começaremos a sentir a alegria de viver."
(B. Weiss)

    

Andréa Abdala Frank
Nutricionista
,
 Prof. do Instituto de Nutrição UFRJ 
a.abdala@uol.com.br 


    

   
 Tire suas dúvidas sobre nutrição! Diga-nos o que gostaria de saber!
   
    
   
Esta página é parte integrante da Revista Rio Total

riototal@riototal.com.br