Chaves e fechaduras

Alguns macetes

Perder as chaves de casa é sempre um grande transtorno. Você nunca sabe se elas foram deixadas no carro de um amigo ou se o sumiço foi obra do "amigo do alheio". Nessas horas, a primeira coisa a fazer é procurar um chaveiro e trocar o segredo da chave, para que nenhuma visita indesejável apareça de surpresa. Muitos profissionais prestam atendimento 24 horas, exatamente para que o susto não acabe com sua noite de sono.

Antes, as pessoas faziam muitas cópias, até por uma questão de comodidade. Se perdessem uma, já tinham outra na bolsa. Hoje em dia, elas estão cautelosas e preferem andar só com a original. A solução, então, é chamar um profissional para abrir a fechadura e mudar o segredo.

Algumas residências da cidade já dispõem de fechaduras eletrônicas, que funcionam com cartões magnéticos. Se o cartão for extraviado, é preciso apenas trocar a senha da porta.
Mas, ainda vai demorar muito para que todos possam dispor desse luxo, já que uma fechadura eletrônica não sai por menos de mil reais.

Um alerta às pessoas é que nunca deixem a fechadura sem lubrificação. Com o tempo, o metal vai ficando desgastado. Para evitar problemas futuros, a dica é colocar grafite. Dessa forma, não há perigo da chave quebrar dentro da fechadura.

Atenção também ao cilindro da fechadura, que é feito de mola, pino e contra-pino. A mola tem de estar na mesma altura dos dentes da chave, caso contrário ela vai ficando gasta.

E preste atenção: nem sempre a dificuldade para abrir a porta é culpa da chave. Em alguns casos, a porta não foi colocada direito e tem de ser regulada para que a fechadura não emperre.

 

Fonte: Depnet
Adaptação

 



         
Esta página é parte integrante da Revista Rio Total