Ano 13 - Semana 699
 




Outros artigos sobre COMPORTAMENTO


 

        28 de agosto, 2010

Avó: Mãe duas vezes

Susan Guggenheim


A idéia de que ao se tornar avó a mulher será, também, mãe pela segunda vez é bem aceita entre nós e até pelas próprias avós. Por esta razão muitas avós no Dia das Mães são também homenageadas pelos netos. O fato de se tornar avó, no entanto, não implica numa segunda maternidade. É nesta  confusão de papéis que surgem muitos conflitos familiares.

As jovens mães pedem para as avós ajudarem nos cuidados com o bebê: dar banho, ajudar a vestir, cortar as pequenas unhas, limpar os ouvidos, etc. Sentem que estão inseguras em manipularem os seus pequenos filhos. Os primeiros e tão importantes cuidados maternos são delegados às avós, que tem mais experiência e também amam aquela criancinha. No entanto, parte significativa dos primeiros relacionamentos mãe-bebê se perdem. Vínculos iniciais deixam de se estabelecer e mãe e filho têm seus contatos mais íntimos perdidos ou adiados.
Mais tarde, a jovem mãe volta ao trabalho e, muitas vezes, abandona a amamentação e entrega o bebê para a avó cuidar, enquanto ela estiver fora de casa. Aos finais de semana, a mãe quer passear com o seu marido e mais uma vez a avó é requisitada. Assim, a infância vai chegando ao final e as avós estão buscando os netos na porta das escolas, levando ao médico, ao dentista e já na adolescência são, muitas vezes, chamados às escolas para ouvirem a orientadora reclamar de notas, falta de disciplina ou algum outro problema. Os pais a essa altura continuam muito ocupados em seus compromissos e continuam delegando aos avós aquilo que naturalmente deveriam fazer.

Mas, as avós estão satisfeitas com esta segunda maternidade? Muitos dizem que sim. No entanto, um número expressivo de avós se queixam do excesso de responsabilidade e trabalho que têm com os netos. Muitas dizem que criaram seus filhos sozinhas e não sabem porque as próprias filhas não conseguem fazê-lo. Sentem-se sobrecarregadas de tarefas, numa fase da vida que gostariam de ter mais tranqüilidade e lazer. Gostariam de visitar ou receber os netos em suas casas para uma convivência sem obrigações e cobranças. Nos Dias das Mães, logicamente que querem ser homenageadas mas, como mães e não como avós (mães duas vezes) e, certamente se sentirão felizes ao verem as suas filhas assumirem as suas funções sendo mães carinhosas e presentes nas vidas de seus filhos.          
     

   
  

      Susan Guggenheim
Psicanalista e psicoterapeuta de idosos
susan@domain.com.br
 


Seu artigo será bem recebido em feliz-idade@riototal.com.br


Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br