Ano 14 - Semana 737
 



Outros artigos de Estilo, Etiqueta, Beleza...
 

Invista em sua empresa!

      27 de maio, 2011
---

Depilação...

um gesto natural,  todos os dias... 

Desde o tempo da Antiga Grécia que os pêlos incomodam

"Coisas de mulher", dizem ironicamente os homens. Afinal, um problema de todos os dias e de todas as mulheres, que já vem do tempo da antiga Grécia. Para exterminar os cinco milhões de pêlos que crescem no corpo humano, há ofertas para todos os gostos...

Os pêlos são desde sempre indesejáveis. Apesar de os cuidados de beleza merecerem cada vez mais atenção por parte das mulheres, este é um problema que tem atravessado gerações.

Os estudos não mentem: desde o tempo da Antiga Grécia que os pêlos incomodam muita gente.  De fato, e segundo rezam as crônicas, já em 2000 a.C., as mulheres gregas arrancavam os pêlos com as mãos, ou queimavam-nos com cinzas quentes sobre a pele. A dor era tanta que as sacerdotisas dos templos de Creta ingeriam uma bebida forte, que entorpecia o corpo. Uma espécie de anestesia que evitava assim o sofrimento.

A quantidade de pêlos numa mulher varia de acordo com o tecido hormonal de cada uma. E a sua aceitação também é variável de país para país. Em alguns países da Europa, os pêlos são sinônimo de erotismo e charme, o que não acontece no Brasil.

Os pêlos, na maioria dos casos, não são atraentes para os homens e as mulheres sabem que uma pele limpa e macia pode ser o suficiente para conquistar as atenções.
O buço, as axilas, as pernas e os braços são normalmente as zonas mais preocupantes para as mulheres, enquanto a região púbica permanece, na maioria, em sua forma original.

Há depilação e depilação:

São vários os métodos de depilação utilizados nos centros de estética ou mesmo em casa. 

Pinça: Para sublinhar a linha das sobrancelhas, os retoques e aqueles pêlos feios no bigode. Cuidados devem ser tomados para não cortar os pêlos sob a pele. E desinfectá-la, bem como a zona a depilar.

Cremes depilatórios: é ainda um método muito utilizado, sobretudo nas pernas, com uma eficácia que pode variar entre dois e três dias. Para quem é sensível à dor, os cremes depilatórios podem ser positivos, pois são compostos por substâncias químicas que amolecem a camada que envolve os pêlos, facilitando a sua remoção. 

Lâminas: Era a fórmula mais utilizada até há algum tempo, pois é uma opção rápida e que, se utilizada corretamente, não provoca dor. A raspagem deve ser feita no sentido do crescimento dos pêlos e com a ajuda de espuma ou de gel próprios. 

Tal como acontece na barba masculina, a raspagem provoca o ressurgimento dos pêlos alguns dias mais tarde e com muito mais força. É, ainda assim, indicado para as pernas, virilhas e axilas, com um resultado prático de dois a quatro dias. Atenção, porém, aos cortes.

Cera quente: As mulheres que têm pêlos grossos e fartos devem utilizá-la, porque ela garante algumas "tréguas" durante cerca de um mês. A temperatura da cera provoca a dilatação dos poros, facilitando a remoção dos pêlos.

Cera fria: É mais doloroso que o método anterior, porque, dada a temperatura da cera, é incapaz de dilatar os poros, tornando o exercício mais complicado. É feita à base de glicose, resina e goma-arábica e arrancada com a ajuda de papel. Facilita ainda o aparecimento de pêlos encravados e impurezas.

Roll-on: É um sistema eficaz para cerca de 20 a 30 dias, com base em aparelhos de depilação com cera morna. Aquecem a cera em 20 minutos e a raspagem é feita no sentido inverso do crescimento, com a ajuda de bandas de papel ou pano.

Luva depilatória: Eis outro método rápido, com duração limitada a, no máximo, três dias. Trata-se de uma lixa de papel com partículas de quartzo, causando um atrito que provoca erosão no pêlo. Deve ser usada acompanhada de creme hidratante, deixando a pele lisa e pura. 

Laser: A maior novidade na área da depilação feminina surgiu há alguns anos nos Estados Unidos. Trata-se de um aparelho a laser, ideal para quem deseja ficar livre destas preocupações por um longo período de tempo e deverá ser realizada em gabinetes de estética especializados.
O aparelho atinge, área por área, o folículo piloso com o laser, destruindo a raiz, sem causar danos à pele.
Antes do início do tratamento, é feito um teste de sensibilidade para que sejam atenuadas as sensações desagradáveis. É aplicado num número mínimo de três sessões e um máximo de cinco, com intervalos de um mês.
O método é considerado de longa duração, uma vez que os pêlos só voltam a nascer depois de passados seis meses sobre a última sessão.

Há, porém, quem considere preferível fazer a descoloração dos pêlos a ter de passar pelo sacrifício das depilação.
É um processo que consiste na oxidação com água oxigenada e descolorantes e passível de ser utilizado nas pernas, coxas, barriga e braços.
A descoloração, que dura cerca de 20 dias, só é eficaz em mulheres cuja quantidade de pêlos não é muito elevada.
Este método, aconselhado vivamente pelos dermatologistas, permite conservar o seu pêlo flexível e, por conseguinte, sem o transformar em pêlo terminal à força de tantas depilações.

Após cada depilação, nunca esqueça a fase de hidratação. Os cremes dão sensação de frescura e acabam com a desagradável sensação de pele áspera!


Pêlo a pêlo... ano a ano

O primeiro instrumento usado na depilação data do tempo da Grécia antiga e chamava-se Estrigil, que consistia numa varinha de 16 a 30 centímetros de comprimento com a ponta curva.
As mulheres passavam no corpo uma pasta à base de vegetais, cinzas e a argila, raspando posteriormente a pele com o Estrigil.

Ao longo dos anos, os pêlos foram sempre considerados algo de supérfluo. E até de repugnante e maléfico, no caso das mulheres muçulmanas, que tinham como hábito raspar o corpo todo.

Elas usavam um xarope espesso, composto de açúcar e sumo de limão, que, diziam, ajudava a extrair os pêlos.
Os egípcios foram, por seu turno, os primeiros a utilizar o extrato de sândalo, a argila e a cera de abelhas, ingredientes que dariam origem à depilação com cera tão em voga entre nós.

É no século XX, porém, que a depilação se torna uma questão de higiene, bom gosto e elegância. 
Nos anos 20 e 30, a depilação era apenas feita nas pernas, enquanto a zona púbica não era delineada, nem tampouco as axilas.
No início da segunda metade do século, a depilação das axilas é a grande conquista, generalizando-se a prática da depilação.
Apenas as mulheres naturistas mantêm tudo... ao natural.

Finalmente, nas duas últimas décadas, a adesão passa a ser total, sendo a depilação feita nas pernas, axilas, braços e na região púbica.

 

Fonte: Farmácia e Saúde

 


 

Direção e Editoria
Irene Serra
irene@riototal.com.br