vida Dos cabelos


O cabelo é composto por dois elementos: a haste capilar e a raiz. Se a haste capilar é a parte visível, aquela com que nos ocupamos todos os dias, a raiz é o verdadeiro elemento vivo. É ao seu nível que as células estão ativas e sintetizam a melanina - substância responsável pela cor - e a queratina - molécula muito sólida, a componente principal dos cabelos e que se encontra também, por exemplo, nas unhas.

A parte inferior da raiz tem uma forma de bolbo rasgado por um papila, onde chegam todos os elementos nutritivos graças a numerosos vasos sanguíneos. Verifica-se, assim, que os cabelos crescem para baixo e não para cima, como acontece com as plantas. É, pois, inútil, cortá-los para acelerar o crescimento.

As fases do cabelo
E se nunca os cortássemos? Continuariam a crescer indefinidamente? Não, porque a vida de um cabelo é de cerca de quatro anos. Depois, é desalojado por um outro, e assim, umas trinta vezes no decorrer de uma vida. 

A primeira fase é a do crescimento. É a mais longa, pois varia entre dois e seis anos, de acordo com os indivíduos, sendo em média de três anos. Ao mesmo tempo que inicia o seu crescimento, o novo cabelo expulsa o antigo, já morto, e deslocado da sua base.

Depois, deixa de crescer: é a segunda fase, que dura cerca de três semanas. Por último, acaba a sua vida em três ou quatro meses. É durante esta última fase que é progressivamente expulso pelo seu sucessor.

Cada novo cabelo comporta-se de maneira totalmente autônoma, o que permite manter permanentemente uma cabeleira mais ou menos uniforme com 220 a 300 cabelos por centímetro quadrado e que parece crescer continuamente (85 a 90 por cento dos cabelos estão em fase de crescimento).

Questões genéticas
Os cabelos crescem em média 12 a 15 centímetros por ano, mas esse crescimento é controlado por numerosos outros fatores. Alguns são genéticos, pois existem grandes variações entre etnias. O cabelo asiático, muito longo e redondo, está implantado muito profundamente (7 mm) e cresce rapidamente. Pelo contrário, o crescimento do cabelo africano é lento. É de forma oval e achatada, muito fino e curvo, e a sua implantação é superficial (2,5 mm).

Também o sexo tem o seu papel, já que os cabelos das mulheres crescem mais rapidamente que os dos homens. O mesmo acontece quanto à zona de implantação: o crescimento é rápido no alto do crânio e mais lento na nuca.

Ainda mais numerosos são os fatores externos. Conhece-se a influência da estação do ano, com uma aceleração de crescimento no Verão e a importância de um bom equilíbrio alimentar. Os cabelos precisam particularmente de proteínas, aminoácidos à base de enxofre e vitaminas. Certas cabeleiras são sensíveis às massagens, ao sol ou à temperatura. Há ainda a considerar o efeito psicológico, sobretudo quanto à queda do cabelo.

A influência hormonal
Os cabelos sofrem também influências hormonais e alteram-se no decurso da vida. Os primeiros cabelos são muito finos e despigmentados, a "lanugem" que começa a crescer após o quinto mês de vida intra-uterina e que é substituído pela "penugem", mais densa, cinco a seis meses após o nascimento. Pelos seis meses aparece uma terceira geração, pela primeira vez com um ritmo de crescimento individual para cada cabelo.

A adolescência é marcada por uma forte pigmentação, tornando-se os cabelos mais espessos. Acontece por vezes uma alteração de forma (ondas, recuo da linha de implantação frontal). Por fim, o crescimento diminui cerca dos 60 anos e o cabelo torna-se, de novo, cada vez mais fino.

E o embranquecimento? Muitas vezes, é bem mais precoce... um problema que incomoda muita gente. Trata-se, sem dúvida, de uma interrupção da síntese de melanina, assim como de fenômenos hormonais, nervosos e vasculares. É progressivo e irreversível. Infelizmente, para muitos!

 

Clique aqui e leia outros artigos sobre Estilo, Etiqueta, Beleza e...

 


Rio Total