Rabino Kalman Packouz
 

De um bom diálogo surgem boas soluções
       

Todo ser humano tem alguém com quem ele/ela discorda:  marido/esposa, pai/mãe, um filho, o patrão, um funcionário.
É surpreendente que um pai possa entrar no quarto de seu filho adolescente, dar a maior bronca por causa da bagunça no quarto, falar sobre a irresponsabilidade do rapaz, a impossibilidade de encontrar qualquer coisa, o prejuízo à saúde e a falta de consideração com os outros  -  e esperar que seu filho responda: “Pôxa, pai, nunca pensei nisto antes. Obrigado por me alertar sobre tudo isso. Eu estou positivamente decidido a mudar!”

Quando isto não acontece, o pai raciocina que, na próxima vez, talvez se berrar um pouquinho mais alto a mensagem fará efeito.
(Insanidade é definida como fazer a mesma coisa várias vezes e esperar que apareçam resultados diferentes.)
 

Os 10 Mandamentos para uma Boa Discussão:

  1. Comece com algo positivo para criar uma atmosfera amigável.
  2. Aprecie o ser humano com quem está falando. Ele/ela não é seu inimigo.
  3. Respeite os desejos de seu oponente de fazer a coisa certa. Quando possível, dê-lhe um retorno positivo.
  4. Almeje a paz. Se seu oponente fizer erros ofensivos, não retalhe. Pelo contrário, ajude-o a se recuperar.
  5. Seja “Cabeça Aberta”. Se seu oponente fizer uma boa objeção, admita-o (e desfrute este novo ponto-de-vista).
  6. Não interrompa. Trate os outros da forma que gostaria de ser tratado. A longo prazo, isto lhe poupará tempo.
  7. Não provoque seu oponente, cutucando suas “feridas”.
  8. Demonstre e não grite. Mantenha a discussão no plano intelectual. Não force sua opinião através de gritos.
  9. Dê o exemplo. Não espere que seu oponente siga estas regras. Ensine-o com seu exemplo.
  10. Encerre resumindo o que você tem em comum com seu oponente, o que será um bom começo para a próxima vez.

 

   
Clique aqui e leia outras reflexões


Rio Total