J. Nascimento

OPINIÃO


Idoso é quem tem muita idade;
velho é quem perdeu a jovialidade.
A idade causa a degenerescência das células;
a velhice, a degenerescência do espírito.

Você é idoso quando se pergunta se vale a pena;
você é velho quando, sem pensar, responde que não.

Você é idoso quando sonha;
você é velho quando apenas dorme.

Você é idoso quando ainda aprende; você é velho quando já nem ensina.

Você é idoso quando se exercita; você é velho quando apenas descan- sa.

Você é idoso quando ainda sente amor;
você é velho quando só sente ciúmes.

Você é idoso quando o dia de hoje é o primeiro do resto de sua vida;
você é velho quando todos os dias parecem o último da longa jornada.

Você é idoso quando seu calendário tem amanhãs;
você é velho quando ele só tem ontens.

O idoso se renova a cada dia que começa,
o velho se acaba a cada noite que termina,
pois enquanto o idoso tem seus olhos postos no horizonte, de onde o sol desponta e ilumina a esperança,
o velho tem sua miopia voltada para as sombras do passado.

O idoso tem planos,
o velho tem saudades.

O idoso curte o que lhe resta da vida,
o velho sofre o que o aproxima da morte.

O idoso leva uma vida ativa, plena de projetos e prenhe de esperança. Para ele, o tempo passa rápido, mas a velhice nunca chega.
Para o velho suas horas se arrastam destituídas de sentido.

As rugas do idoso são bonitas porque foram marcadas pelo sorriso;
as rugas do velho são feias porque foram vincadas pela amargura.

Em suma, idoso e velho podem ter a mesma idade no cartório, mas têm idades diferentes no coração.

Que você, idoso, viva uma longa vida, mas nunca fique velho.

 

 

Clique aqui e leia outras reflexões

Rio Total