A bússola


Um navio chocou-se com pedras, fora da costa irlandesa. O capitão era um homem experiente e cuidadoso e o tempo não estava ruim o suficiente para fazê-lo desviar de sua rota. No entanto, o navio afundou e muitas vidas foram perdidas no acidente.

O desastre gerou grande interesse para que se descobrisse a verdadeira causa do naufrágio. Muitos mergulhadores foram destacados para recolher os destroços e entre o que se achou estava a bússola do navio. Dentro dela foi encontrada uma pequena ponta de aço.

Na véspera, um marinheiro recebera ordens para limpá-la e utilizou sua faca de bolso para raspar algumas partes mais sujas. Sem perceber, a ponta se quebrou ficando alojada na bússola. O minúsculo pedaço mudou a inclinação da agulha e o capitão acabou conduzindo a embarcação sobre as pedras ocultas.

Quem está dirigindo nossas vidas? Que bússola estamos utilizando? Seguimos, por vezes, os caminhos indicados por pessoas em quem confiamos, que têm a melhor intenção possível de nos fazer trilhar estradas de alegria e prosperidade, mas que, sem perceber, muitas vezes nos conduzem ao mal.

Se os caminhos do homem são incertos e inseguros - por mais que julguemos conhecê-los – vamos, então, adquirir uma bússola perfeita, de primeira qualidade, para que ela nos dê a direção certa. É só seguir a direção indicada por Deus: o caminho do bem e do amor. É uma bússola infalível!



Adaptação de
Paulo Roberto Barbosa

 

   
Clique aqui e leia outras reflexões


Rio Total