Maria Vilma  

PAZ, A VERDADEIRA PAZ


A paz que mora hoje em meu peito é tão diversa daquela que julguei um dia ter.

Quando somos mais jovens, menos experientes, julgamos que a paz é silêncio, repouso, uma vida sem problemas, sem stress...

Porém o tempo nos faz entender que paz também é movimento, é trabalho, é fé, esperança, consciência da missão bem cumprida, certeza de que pelo menos
tentamos fazer o melhor.

Paz é o som do riacho que passa, dos passarinhos que vêm dizer bom-dia, das crianças que brincam num dia de sol.

Ter paz é sonhar acordado, permanecer sereno em meio ao desconsolo e à agitação.

Ter paz é não ter vergonha de sorrir, de chorar, de pedir, de agradecer.

Ter paz é ter força para continuar mesmo quando muitos te dizem para voltar, mas algo mais forte, dentro de você, diz que é preciso continuar caminhando para frente.

Levar paz é, muitas vezes, levar alegria, consolo. Mas outras tantas... É também dividir, debater, buscar novos modos de ver a vida, novas verdades, novos caminhos.

Buscar a paz é lutar sempre pelo amor, manter alma e coração leves, independente daquilo que o mundo apresenta ao teu redor.

Que a paz, a verdadeira paz, possa fazer sempre morada em nossos lares, em nossas vidas, em nossos caminhos.

 

   
   
Clique aqui e leia outras reflexões


Rio Total