VOVÓS BOTAM PRA QUEBRAR E PROVAM QUE A VIDA

DEPOIS DOS 60 PODE ESTAR APENAS COMEÇANDO



Grupo de modelos da terceira-idade vai atuar em concursos de beleza, ensinando as candidatas o que elas devem fazer agora para manter a saúde, beleza, elegância e a sensualidade depois dos 60.


Um grupo de senhoras, com idades que variam dos 60 aos 80 anos, está botando pra quebrar no Rio de Janeiro, provando que o abandono e a solidão não fazem parte da vida dos idosos que acreditam que envelhecer também pode ser sinônimo de saúde, produtividade, beleza, elegância e sensualidade.

Além dos DESFILES DE LINGERIE, TRAJE DE GALA, MODA-PRAIA OU ROUPA ESPORTE que fazem em shoppings e eventos, as modelos da terceira-idade -, formadas pelo professor de modelo e manequim e produtor visual da cantora Elza Soares, Eduardo Araúju, pioneiro no Brasil neste tipo de trabalho -, decidiram agora transmitir toda a sua experiência a jovens que participam de concursos de beleza. O primeiro trabalho desse tipo que elas irão fazer será no Beleza Brasil Rio 2003, que acontece no dia cinco de julho, às 19 horas, no Barra Square Expansão, Barra da Tijuca. O grupo vai auxiliar Eduardo na preparação das jovens para o concurso, mostrando às candidatas que a juventude tem prazo de validade, mas a jovialidade pode durar a vida inteira.


SUGESTÃO DE PAUTA


No momento em que se discute o Estatuto do Idoso, aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e que prevê, entre outras coisas, penas para crimes de maus-tratos contra idosos, e também quando uma novela provoca debate nacional ao abordar os problemas da terceira-idade, o grupo de senhoras modelos e manequins (uma delas, inclusive, foi eleita Miss Brasil da Terceira-Idade) é um grande exemplo para todo o país. Elas vivem intensamente a vida, têm planos para o futuro e curtem muito mais o que vem pela frente do que as lembranças que ficaram pra trás, tudo com muita disposição e entusiasmo. Investem suas energias na qualidade de vida, transformando o processo de envelhecimento em amadurecimento, experiência que agora fazem questão de transmitir às jovens.

Normalmente, quando se aborda a questão da terceira-idade, o que se mostra são idosos sozinhos, "depositados" em asilos, abandonados ou maltratados pela família, como se o fim de todo mundo, ao envelhecer, fosse este. A idéia do grupo é justamente a de mostrar o contrário, ou seja, que o idoso pode continuar produtivo, aprender uma nova atividade profissional, ser bonito e sensual, ser livre, independente. É mostrar que envelhecer não significa depender da ajuda de parentes (muitas vezes são os filhos e os netos que dependem deles) ou viver em abrigos, enfim, provar que podem continuar fazendo muita coisa que a maioria da população duvida - e até eles mesmos.

O trabalho que as modelos de Eduardo Araúju fazem, através de desfiles ou palestras, tem uma grande repercussão no Rio e dá um ânimo incrível ao público da "maioridade". Além da valorização pessoal, essas mulheres (e homens também) estão descobrindo que, num país onde a renda média de um aposentado é de aproximadamente um salário mínimo, elas podem completar seus rendimentos com trabalhos extras, ajudando no orçamento doméstico e, acima de tudo, resgatando a auto-estima.

Temos personagens super interessantes. Entre elas a Isolda, uma mulher linda, de 68 anos, que é Miss Brasil Terceira-idade, corre na praia, faz musculação, etc, além de Dona Lourdes, uma aposentada que descobriu uma nova atividade profissional os 84 anos: tornou-se modelo, manequim e "garota-propaganda".

Apadrinhado por famosos, como a comediante Dercy Gonçalves e a atriz Neuza Amaral, o projeto tem como objetivo principal provar que a vida pode estar apenas começando para quem já passou dos 50, 60, 70 anos. Também visa quebrar a "ditadura da moda", revolucionando a consciência do mercado, além da realização pessoal das modelos quanto aos seus sonhos e resgate da auto-estima, num momento de suas vidas em que até bem pouco tempo eram tratadas com indiferença. Com o projeto, Eduardo Araúju vem conseguindo conscientizar muitos produtores sobre a importância do respeito e do carinho a esse segmento, preparando estilistas e empresários no sentido de se familiarizarem com uma grandiosa parcela do público consumidor da moda, que são as pessoas acima de 40, 50, 60 anos.

O trabalho começou em 1990, quando Eduardo Araúju ministrava aulas de modelo e manequim para adolescentes na academia das manequins internacionais Maria Rosa e Veluma. Percebeu-se que as mães se mostravam mais interessadas no curso do que as próprias filhas. Daí, então, verificou-se que o mercado se ressentia de modelos/manequins que se adequassem a uma proposta de moda dirigida às senhoras. Foi assim que nasceu a idéia de montar um projeto, provando que a moda não tem idade.

"Percebi que no mercado existem grifes direcionadas a mulheres maduras, mesmo sendo minoria, mas que faltavam manequins com o biótipo próprio para conduzir nas passarelas este vestuário", afirma Eduardo, que desenvolveu a proposta de oferecer à beleza madura um background que permitisse realçar o talento da meia-idade à terceira- idade e que compusesse, com muita elegância e charme, o perfil da modelo/manequim apta a um comportamento profissional que se inserisse no contexto da moda para as mães e avós. Criou-se, então, a partir de 1990, no SESI, o primeiro "Curso de Modelo e Manequim para Senhoras e Senhores". Segundo o produtor, o início foi muito difícil, por conta, principalmente, do preconceito. "Mas aos poucos as pessoas foram percebendo a importância do trabalho do público da maioridade", acrescentou.

Com o projeto, Eduardo já formou mais de 3.000 mulheres e homens no eixo Rio-São Paulo, através do curso que conta com aulas de andamento e postura, dicas de etiqueta, maquilagem e de auto-estima, entre outros, possibilitando a autovalorização e a melhoria do relacionamento familiar e social, tornando-as mais seguras de suas potencialidades.

Muito além de apenas oferecer profissionais qualificadas a apresentar a moda com a adequação da sobriedade que o mercado requer, Eduardo tem implementado uma filosofia de despertar a beleza da mulher madura, criando também concursos de beleza para as senhoras, como o Miss 3ª Idade Estado de São Paulo, Top Model Eduardo Araúju, A Mais Bela Senhora do Rio de Janeiro e Miss Rio de Janeiro da Maturidade.

O projeto, que inseriu idosos no mercado de trabalho e tornou possível a realização de velhos sonhos, foi abraçado por famosos como Neuza Amaral, Xica Xavier, Lady Francisco, Maria Ceiça, Veluma, Antonio Pitanga, Dercy Gonçalves, Rogéria e Carlinhos de Jesus, entre outros. Com isso, a proposta está conseguindo conscientizar muita gente de que o exemplo dessas mulheres deve ser seguido em todo o Brasil, que, conforme dados do IBGE, possui hoje 8,6% da população (cerca de 15 milhões de brasileiros) com idade acima de 60 anos. Nos próximos 20 anos, este número poderá atingir cerca de 13% do total de habitantes, o que significa aproximadamente 25 milhões de pessoas.


Próximos cursos de formação de modelos para senhoras,
ministrados por Eduardo Araúju


- Espaço Cultural Luciana Coutinho
Recreio Shopping
Todas as segundas-feiras, a partir do dia 07 de julho, no
horário das 16 às 17 horas - Valor 80,00.

- Sabor de Ipanema
Rua Raul Pompéia, 94, andar p - Copacabana
Todas às terças-feiras, das 14:30 até às 16 horas
Valor 80,00
Informações: 8807-8964, 2244-5373 e 3181.1581, com Talluma de Luca



CONTATOS:

Denise Teixeira - Jornalista (reg.prof.18.514/MTb/RJ)
(21) 2715-8394 (até 10h30min e após 20 horas)
(21) 9291-8886 (celular)
E-mail: denisegui@uol.com.br

 


Sua informação será bem-vinda em felizidade@riototal.com.br
 

Revista Rio Total

http://www.riototal.com.br