Celso Marzano

SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE

MUDANÇAS NO HOMEM

No homem o processo de envelhecimento é diferente da mulher.
Normalmente o homem não pensa que o seu tempo acabou.
A produção de espermatozóides após os 40 anos é menor, mas não totalmente ausente.
Há redução da produção de testosterona, mas de forma lenta e pouco pronunciada.

Há porém homens que desencadeiam crises com sintomas psicológicos como depressão, irritabilidade, falta de impulso sexual e queda dos níveis de testosterona.

Em resumo, as mudanças são:
- maior tempo e estimulação genital mais direta.
- A ereção é menos rígida.
- existe menor necessidade física de ejacular e maior controle
   desta.
- diminuição do volume do sêmen e do jato no orgasmo,
- às vezes diminuição da resposta orgástica,
- queda da ereção mais rápida após a ejaculação .

Como são mudanças lentas, são mais fáceis de se adaptar e de serem aceitas.

MUDANÇAS NA MULHER

Na mulher há uma mudança em nível pessoal e social que se inicia entre os 48 e 51 anos que é a menopausa, ou seja, o fim da menstruação e da função reprodutiva.

Após este tempo a mulher tem hoje mais ou menos 25 anos pós menopausa onde não deve desprezar a sua sexualidade.
Com a menopausa, as mudanças fisiológicas atróficas ocorrem na pele, mamas, mucosa genital e também há sintomas psicológicos como irritabilidade ou mudanças de humor, variáveis de mulher para mulher.

As mudanças sexuais são mais lentas e progressivas pela diminuição na produção de hormônios femininos. Efetivamente, a resposta sexual sofre algumas alterações, mas não desaparece.

Por outro lado, a situação pós menopausa, é vantajosa: não há o temor da gravidez, não despende tanto tempo para cuidar dos filhos e geralmente se libertou de inibições que atrapalhavam sua vida sexual anterior.

EM RESUMO, AS MUDANÇAS SÃO:

  1. Presença dos "fogachos": subitamente aparecem palpitações, sensação de mal estar, aparece uma onda de calor que sobe pelo peito, as mãos ficam inchadas e quentes, as faces parecem arder como fogo. Após, pode vir a transpiração.
  2. Redução da produção pelos ovários dos hormônios. Desaparecimento progressivo da ovulação ou seja da fertilidade.
  3. Diminuição ou desaparecimento da menstruação.
  4. Ocorrem transformações no aparelho reprodutor feminino: os grandes lábios ficam enrugados; os pequenos lábios praticamente desaparecem; o períneo perde a sua elasticidade, ocorre queda de pelos; a vagina encurta e se estreita e sua elasticidade se reduz; a mucosa interna se afina e se resseca (diminui a lubrificação vaginal); ocorre enfraquecimento de toda musculatura perineal devido a um processo gradual de atrofia.
  5. Nas mamas há diminuição do tecido glandular, que é substituído por tecido gorduroso, que mais tarde desaparece e estas ficam flácidas e com excesso de pele.
  6. Maior possibilidade para outras doenças como a osteoporose, arteriosclerose, incontinência urinária aos esforços, cistites, etc.


REGRAS PARA MELHORAR O SEXO
NA TERCEIRA IDADE

  1. Manter durante toda a vida uma prática sexual contínua e equilibrada. A regra diz: quanto mais atividade sexual maior a possibilidade de se manter desta forma, quanto menos sexo menos vontade e a freqüência diminui. O equilíbrio no relacionamento sexual quando jovens é mantido com o passar dos anos. O importante é ter uma vida sexual regular. Se para a mulher jovem é importante a prática sexual com regularidade, para a idosa isso é ainda mais necessário, pois seu desempenho sexual depende muito mais da regularidade que o da mulher jovem.
    Na prática, essa atitude eqüivale a um processo de auto-estimulação: quanto maior a atividade sexual mais possibilidades de melhorar as condições dos órgãos afetados pelo envelhecimento e, em conseqüência, maior disposição e interesse em prosseguir com a atividade sexual.
  2. Cuidar do estado geral da sua saúde. Deve-se evitar fatores que diminuem a sua saúde (evitar álcool em excesso, evitar o fumo, diminuir a ingestão de colesterol, sal, o excesso de açúcar e principalmente diminuir o stress e a ansiedade).
  3. Conhecer e se adaptar às mudanças fisiológicas vindas com a idade como menor freqüência de coitos; mais relaxados; mais afetivos; mais prazerosos).
  4. Adaptações sexuais necessárias e que ajudam na sexualidade:
    a) mais aptidões manuais e tácteis (dar mais valor para carinhos, beijos, agrados, etc, nem sempre tendo como resultado o coito)
    b) variedades sexuais - necessárias para tirar a monotonia da repetição e o desgaste do dia a dia.
    c) imaginação - muito necessária para aprimorar as relações sexuais e ter a cada dia maior possibilidade de prazer.
    d) fantasias sexuais - também ajudam a melhorar a sexualidade dos casais.
       

Publicação autorizada pelo Dr. Celso Marzano, médico
clínica: CEDES - Centro de Orientação e Desenvolvimento da Sexualidade
fones: (011)4232-2512   (011)4232-2481   (011)4232-2435
homepage:
http://come.to/marzano
email:
marzano@cebinet.com.br

 

         
Esta página é parte integrante da Revista Rio Total