Dr. Roberval Pereira Filho
       

 

A VOZ E O SEU DONO
              

 

Em plena era da comunicação total, falar bem tornou-se uma condição imperiosa ao ser humano.

Mas, o que é falar bem?

Para alguns, articular devidamente as palavras. Para outros, transmitir através da fala pensamentos elaborados, e para tantos outros é ser audível projetando adequadamente a sua voz. Cada um desses conceitos não é errado, mas contém dentro de si meias verdades.

O ato de falar é o estabelecer uma intercomunicação com seu semelhante, é a transmissão de mensagens de si para outro(s), onde forma e conteúdo tornam-se elementos indivisíveis e indispensáveis para que seus objetivos (comunicação) sejam alcançados. Entretanto, nada disso terá valor, se não houver sentimento. Falar é, acima de tudo, uma cadeia sonora de significantes e significados repletos de cargas afetivas, cujo instrumento de transmissão é a voz. Desta forma, do ponto de vista filosófico, "a voz é o espelho da sua alma", ou "a voz é a sua imagem". Assim vejamos:

- Imagine-se telefonando para algum lugar, no qual o seu interlocutor é um desconhecido. Estabelece-se um diálogo e durante este processo você vai idealizando a imagem daquela pessoa, através do tom da sua voz, do ritmo da sua fala, da sua articulação, entonações etc. Certo dia, surge a oportunidade de conhecê-lo e há uma surpresa, pois aquela imagem idealizada por você é bem diferente da real.

Por que isto aconteceu?

Exatamente, pelo fato de que cada característica que compõe aquela voz resulta numa carga afetiva que em confronto com seus próprios sentimentos, positivos ou negativos, o levaram a idealizar tal imagem. As reações de cada ser humano são únicas e dependem de cada indivíduo em cada momento de sua vida. A percepção dos fatores desencadeadores das sensações afetivas é muito pessoal e por este motivo de difícil compreensão por parte de outra pessoa.

Geralmente, temos sensações agradáveis com a voz do outro, mas, às vezes, observamos que a sua produção sonora está dificultada por uma rouquidão, aspereza, estridência, etc. Logo, percebemos que a sua saúde vocal está comprometida, apesar de não estarmos inseridos no contexto da vida daquele indivíduo. São muitos os fatores que podem interferir na produção normal da voz, entre eles, podemos destacar: fumo, maconha, cocaína, álcool, gritos, pigarros, tosses, ar condicionado, alergias, medicações e auto medicações, alimentação, falta de hidratação (baixo consumo diário de água), mudanças bruscas de temperatura, competição sonora (falar com freqüência em ambientes ruidosos), alterações hormonais, psiquismo...

Gripes, resfriados, laringites, também alteram a nossa voz, mas à medida que superamos estas infecções, a voz irá se normalizando.

Considera-se um problema de voz aquele distúrbio cuja duração seja superior a uma semana. Nestes casos é conveniente se fazer uma consulta ao otorrinolaringologista, onde será realizada uma videolaringoscopia, ou similar (exame das pregas vocais) para se detectar a causa desta alteração renitente. Caso haja necessidade de um tratamento vocal, procure um fonoaudiólogo que é o profissional capacitado para tratá-lo. Não permita que o seu problema vocal perdure, pois quanto mais tempo ele existir, maiores serão os seus comprometimentos orgânicos. Lembre-se de que a saúde do seu corpo, também depende da saúde da sua voz, além do que a sua voz é "o seu cartão de apresentação".


Colaboração do Dr. Roberval Pereira Filho, 
fonoaudiólogo, especialista em voz e linguagem,
pós Graduado pela Escola Paulista de Medicina,
Prof. Titular de Fonoaudiologia da Univ. Cat. de Petrópolis
e Fonoaudiólogo Clínico.

Consultório: Rua Real Grandeza 139, sala 703
Botafogo - RJ - CEP. 22281-030
Tel.: (21) 527-9029

 

         
Esta página é parte integrante da Revista Rio Total