Erica Verderi
 

A Questão do Envelhecimento para quem está Envelhecendo

“ Felizmente, essa realidade opressiva sobre os velhos está mudando para melhor. O aumento espetacular do percentual de idosos em praticamente em todo o mundo e a organização da Terceira Idade em grupos de pressão, na forma de Conselhos Municipais e Estaduais de idosos, parece ser um começo promissor rumo a uma mudança de mentalidade, Há a perspectiva de que os “modelos” de novas formas de envelhecer se multipliquem obrigando a sociedade a rever suas representações de velhice e de envelhecimento”           (José Carlos Ferrigno)


Nossa aparência física pode influir imensamente sobre a maneira como nos sentimos a respeito de nós mesmos. Ela está constantemente mudando e vamos nos tornando cada vez mais velhos. As mudanças na aparência dos últimos anos podem se converter numa fonte de frustração para algumas pessoas se elas as associarem a uma perda de atração, perda de possibilidades.

Muitas mudanças físicas que ocorrem com a idade afetam a aparência. Ganho de gordura generalizado, perda dos músculos, perda da estatura, má postura, pele seca, renovação mais lenta das células lubrificantes, pele pálida devido à perda de pigmentos da pele, manchas na pele muito expostas ao sol, os vasos sanguíneos se tornam mais evidentes devido ao afinamento da pele e outras no sistema psicológico e funcional.

Especialistas do envelhecimento se preocupam em recuperar a capacidade funcional orgânica para assim, melhorar os hábitos diários, a qualidade de vida e adquirir o bem-estar. A perda de capacidade resulta na diminuição do bem-estar do geronte.

A idade avançada não indica o fim da vida de uma pessoa. Apenas a intensidade nas atividades do dia-a-dia é que diminuem. Porém os sabores da vida passam a ser melhor degustados.

O período de transição entre a vida ativa e a aposentadoria, quando não planejada, poderá trazer ao geronte o sentimento de perda, se planejada, um momento de nova conquista. Mas como saber a hora de planejar? Sempre é hora de planejar! Todos estamos cada dia mais velhos. A conquista ou a perda dependerá do perfil do geronte, dos planos para o futuro, dos programas para a terceira idade que ele fizer parte e da sociedade que lhe propiciar melhor nível de qualidade cultural, profissional, de saúde e de socialização.

O estresse compromete o bem-estar do envelhecente. Um estresse pode geralmente provocar problemas físicos tais como tensões, dores de cabeça ou ataques cardíacos. A primeira coisa que o geronte deve fazer é identificar os eventos em sua vida que o conduzam à sensação de estresse e gradativamente substituindo por eventos de prazerosidade.

É certo que não se pode evitar o envelhecimento. No entanto, podemos exercer influência sobre a maneira de como envelhecer, contribuindo para um significativo bem estar com qualidade de capacitação em nossas atividades/movimentos e relacionamento social.

Envelhecer não significa necessariamente redução de capacidade e diminuição de atividades. Envelhecer pode significar enriquecimento espiritual e uma vida aprazível, a partir do momento que a Educação Física Gerontológica se disponibilizar em prol das pessoas que envelhecem, contribuindo para a aceitação de todos que, estão passando pela vida e construindo uma história. E não simplesmente, deixando a vida passar...
 

Profª Ms. Érica Verderi – FEFISO/ACM
verderi@cy.com.br
www.programapostural.com.br

feliz-idade@riototal.com.br
        



Direção e Editoria
 Irene Serra
irene@riototal.com.br