Ano 12 - Semana 649

 

CUIDANDO DAS PLANTAS
ARQUIVO

 



 

     12 de setembro, 2009
---

Ipoméia
(campainha, glória da manhã)

Ipoméia purpúrea, riototal


As delicadas trepadeiras que pertencem a esse gênero apresentam um desenvolvimento semelhante ao das ervas daninhas, tal a rapidez com que se alastram. No entanto, nem todas as espécies possuem essa constituição para se tornarem invasoras, como, por exemplo, a Ipomoea purpurea. Trata-se de uma planta bem resistente, originária da América tropical. Produz grandes folhas cordiformes e flores com desenho de trombeta, muito delicadas. Constitui uma trepadeira semi-lenhosa, com folhas cordiformes e flores grandes, purpúreas, com formato de trombeta. Também existem variedades com floração roxa, branca, azulada e até multicolorida.

Todas as manhãs elas se abrem, logo que os raios solares começam a incidir sobre a planta. Assim, a trepadeira, que estava toda verde, cobre-se e ganha um visual diferente. Também existem algumas espécies que possuem raízes carnosas, mais apropriadas para o cultivo em interiores.


Primavera e verão

Ipoméia azul, foto FlickrA cada ano semeie as espécies anuais. Reenvase as perenes em agosto ou setembro, quando as raízes se apresentarem amontoadas e procure causar a menor perturbação possível às raízes.
O momento do replantio é o melhor para se colocar suporte nas trepadeiras, se preferir que elas subam, em vez de penderem. Enterre varetas de bambu ou um arco de arame no composto, de maneira cuidadosa, a fim de não danificar as raízes.

Todas as ipoméias apreciam bastante luz solar e a temperatura ideal, no verão, deve ficar por volta dos 20°C.
Mantenha o composto umedecido e adube com fertilizante líquido a cada três semanas, de outubro a março, para incentivar a floração.
Pulverize água nos dias de maior calor, evitando atingir as flores. Como cada flor dura pouco, pode as que estiverem murchas, para encorajar o aparecimento de outras.


Outono e inverno

Depois da florada, pode as espécies perenes a 10cm do solo. As formas que apresentam raízes carnosas murcham e morrem, após completarem seu ciclo vital.
Pare de adubar todas as ipoméias e reduza as regas de maneira a deixar o composto quase seco. Preste atenção para não permitir que as plantas fiquem em ambientes nos quais a temperatura caia abaixo dos 13°C.


Propagação

Ipoméia rubra, foto Jardineiro
Semeie, tanto as anuais como as perenes, no começo da primavera. As espécies trepadeiras não apreciam mudanças, por isso cultive suas sementes em vaso e composto definitivos.

Para conseguir um arranjo vistoso, coloque várias sementes em cada vaso. Depois de germinadas, desbaste de modo a deixar 10cm entre os exemplares. As plantas rasteiras devem ser semeadas em sementeiras com uma mistura de partes iguais de turfa e areia.

I. nu, provavelmente da África tropical, forma uma trepadeira perene. Possui ramagem pilosa, folhas cordiformes e flores em forma de trombeta que se cobrem de azul-claro ou escuro e, gradativamente, tornam-se vermelhas ou púrpuro-avermelhadas, no verão.
I. hoiubii, originária da África do Sul, forma uma planta baixa que atinge 25 cm de altura, a partir de uma estrutura basal semelhante a um bulbo. Em seu habitat natural, essa estrutura fica enterrada, mas no cultivo doméstico deve apenas apoiar-se na superfície do solo. Seus caules delgados produzem folhas finas e flores grandes, em forma de trombeta, coloridas de púrpura, que desabrocham durante todo o verão.

Ipoméia tricolor, do México
Qualquer tipo de semente deve receber apenas uma fina camada de solo por cima. Mantenha a temperatura em torno de 20°C, protegendo o conjunto do sol direto. Umedeça sempre o composto. Quando as mudas das espécies rasteiras puderem ser manuseadas, transplante-as para vasos individuais, cuidando para não danificar suas raízes.

I. tricolor, do México, constitui outra espécie trepadeira. Possui folhas verdes, cordiformes, e flores grandes, em forma de trombeta, no verão, assumindo coloridos variados. Embora perene, viceja melhor como anual.





 


Direção e Editoria
Irene Serra