Ano 14 - Semana 729
 


Azaléia
Família: Ericaceae
Gênero: Rhedodendrom
Cultivo: Fácil
Altura: 46 cm
Largura: 45 cm
Umidade: alta
Disponibilidade: Fácil
Luminosidade: Meia-som-bra



CUIDANDO DAS PLANTAS
ARQUIVO


 

        02 de abril, 2011
---

Azaléia

Meus pais e as azaléias do sítio


A azaléia é uma planta originária da China e do Japão. Seu nome científico é Rhododendrom (gênero), possuindo diversas espécies. As plantas nativas foram levadas para a Holanda e Bélgica, onde foram melhoradas geneticamente. Como resultado, entre as variedades hoje comercializadas encontram-se flores de coloração vermelha, rosa, roxa, branca e combinações destas cores (mescladas).

A colorida azaléia tem uma aparência muito agradável no inverno. A atração que exerce deve-se às flores singelas ou dobradas, que abrangem imensa gama de tons delicados ou vibrantes, iluminando os meses de inverno, quando surgem as flores pequenas, sendo as preferidas em tons de vermelho, coral, rosa e branco.

Geralmente rústicas e de longa duração, as azaléias chegam a atingir 45 cm de altura.

Foto de Roberta Travaglia


Primavera e verão

O tipo correto de solo é fundamental para o desenvolvimento da azaléia. Ele deve conter turfa, de preferência pura. As regas também têm importância: use água potável ou de chuva. Mantenha-a molhada, não apenas úmida, pois ela necessita de muita água no calor. Uma boa iluminação, sem sol direto, à tarde, também é importante; sol intenso, porém, queima as folhas.

O florescimento costuma terminar em outubro. Remova, então, todas as flores mortas e hastes compridas e desalinhadas, podando-as levemente, a fim de que a planta volte a florescer no ano seguinte. Retire com delicadeza essas partes, pois uma poda muito drástica poderá comprometer o desenvolvimento das flores.

Durante o verão, a azaléia consegue viver dentro de casa ou no jardim. Se preferir colocá-la ao ar livre, procure um canto sombreado e enterre-a com o vaso, que deverá permanecer dentro do solo até a borda e constantemente molhado.
Caso você more numa região muito fria e que seja sujeita a geadas, quando se aproximar o inverno retire o vaso do jardim antes que a baixa temperatura comece a danificar a planta. No caso de você preferir conservá-la no interior, procure um lugar bastante iluminado e fresco, lembrando-se de regá-la muito bem.


Outono e inverno

Mantenha sua azaléia em local fresco e iluminado, porém não sob sol direto. Ela se desenvolve bem em temperaturas entre 7 e 13°C, e mesmo acima de 15°C, embora temperaturas mais elevadas possam causar-lhe mal. Em locais muito quentes ou, pior, de baixa umidade, as flores surgirão mais cedo e cairão rapidamente. Mantenha o composto úmido sem encharcar. Faça com que receba boa ventilação e dê uma leve pulverizada de água potável, se a temperatura subir muito. Adube-a com um fertilizante líquido a cada duas semanas.

Azaléia branca


Propagação:

O ciclo de produção da azaléia é cerca de 13 meses. As mudas são formadas a partir de estacas de 5 cm, resultantes da poda de plantas em formação,
entre janeiro e abril. Estas estacas são enraizadas em bandejas apropriadas. Após 10 semanas podem ser transplantadas e estacadas para cada vaso definitivo. Nos meses seguintes, são realizadas de 2 a 3 podas para que se obtenha uma planta bem formada.

O próximo passo é a aplicação de reguladores de crescimento, para que haja indução de botões florais.
Em seguida, as plantas recebem um choque térmico (ficam por 6 semanas em câmara fria), para que os botões florais possam se desenvolver. Esta etapa é muito importante e necessária para que se tenha azaléias floridas durante o ano inteiro, já que neste caso, são recriadas artificialmente as condições da natureza (as azaléias florescem no início da primavera, após o período frio do inverno).

A terra a ser utilizada no vaso pode ser do tipo terra vegetal, devendo estar sempre úmida, com boa aeração e baixa acidez.

O cultivo, através de sementes, costuma não ser tão bem-sucedido, uma vez que as cores das flores dos híbridos não se mantêm. Mas, se você já tem as sementes, vale a pena tentar. Cultive-as durante o mês de setembro numa superfície de areia com terra turfosa; depois cubra-as com uma leve camada de terra granulosa. Mantenha o composto apenas umedecido e à temperatura de aproximadamente 15°C.

Azaléia mesclada


Problemas e soluções:

Botões de flores e folhas amarronzados ou murchos indicam temperatura muito elevada e regas insuficientes. Mergulhe o vaso em água morna por vinte minutos e borrife bem a folhagem. Depois deixe a planta escorrer e mude-a para um lugar fresco, lembrando-se de regá-la regularmente.
Botões que caem e flores atrofiadas são um sinal de que sua planta está num local de muito vento ou que o composto se tornou saturado. Mude-a, de lugar e dê maior atenção às regas.
Deve-se tomar cuidado com o solo no qual a azaléia é cultivada por se tratar de uma planta calcífuga, ou seja, que não se dá bem em solos alcalinos.

Rhododendron indicum
Rhododendron indicum apresenta diversas variedades coloridas.
Muitas devem sua origem ao Rhododendron simsii, uma espécie chinesa com folhas semipermanentes e flores de 5 a 7 cm, pilosas, avermelhadas e de forma funicular. Há uma grande quantidade de variedades atraentes, todas com folhas ovaladas verde-escuro e flores singelas ou dobradas de diferentes tonalidades. Por não ser totalmente rústica, esta planta sofre danos em temperaturas muito fortes quando acontece de permanecer fora de casa o ano todo.

Rhododendrom obtusum
Rhododendron obtusum, azaléia originária do Japão, é uma planta arbustiva com pequenas e resistentes folhas verde-escuro. Suas flores avermelhadas, de formato afunilado, surgem entre setembro e novembro.
Muitas variedades se desenvolveram em grande gama de cores.
É uma espécie totalmente rústica que pode crescer no jardim, mas primeiramente deve ter florescido no interior.


A azaléia é suscetível a algumas doenças, como:
Oídio: manchas esbranquiçadas que recobrem as folhas. Estas caem prematuramente, a planta enfraquece e deixa de florescer.
Podridão das estacas: causada por Rhizoctonia. As estacas começam a apodrecer, causando a morte.
Podridão das raízes: causada por Fusarium. As raízes apodrecem e os sintomas podem ser vistos na parte aérea: as folhas tornam-se amarelas, caem, a planta seca e morre.
Podem ocorrer também algumas pragas como trípes, ácaros, pulgões e moscas minadoras.


Cuidados:
Mantenha o vaso em lugar fresco e claro.
Mantenha a terra do vaso bem úmida, sem deixar acumular água sobre o prato.
Mergulhe o vaso em um balde com água morna uma vez por semana.
Na primavera, corte alguns ramos de modo a conservar o contorno da azaléia.
Elimine flores murchas, para evitar doenças e forçar a abertura dos demais botões florais.
Adube uma vez por mês.
Após a florada, tire a muda do vaso e plante no jardim, em local fresco e claro.
Escolha sempre uma planta cheia de folhas e flores, com aparência saudável, acrescida de grande número de botões. Retire as folhas murchas.
Utilize uma tesoura para fazer a poda, logo acima de um viçoso cacho de folhas.




 


Direção e Editoria
Irene Serra