Ano 14 - Semana 756
 

Família: Begoniaceae
Cultivo: Fácil
Altura: ± 60 cm
Largura: ± 45 cm
Umidade:  Média
Disponibilidade: Fácil
Largura: 1,2 m
Luminosidade: Meia-som bra






CUIDANDO DAS PLANTAS
ARQUIVO


 

      07 de outubro, 2011
---

Begônia

begonia rex

Há mais de mil espécies da florida e ornamental begônia. Muito cultivada como planta de interior,  ela se tornou um dos gêneros preferidos dos apreciadores, algumas vezes pela folhagem exótica, outras pelas flores.

Os três grupos principais de begônia são divididos de acordo com o tipo de raiz: rizomatosas, tuberosas e fibrosas.
O rizoma é um caule engrossado, que cresce horizontalmente acima ou abaixo da superfície, com pequenas raízes que se fixam no solo, armazenando água e nutrientes para a planta usar em tempo de seca.
A túbera é uma parte intumescida da raiz principal, com raízes que continuam a se dividir em outras ainda menores, na parte inferior. O tubérculo ou túbera tem também uma reserva alimentar, e se parece muito com a batata na forma e na textura.
As raízes fibrosas, iguais às comuns, começam grossas e depois se ramificam em outras mais finas, tornando-se cada vez mais delgadas à medida que se aprofundam.

As begônias do grupo das rizomatosas, muito apreciadas pela folhagem colorida, têm como exemplo típico a Begônia rex, originária da Índia. As folhas possuem uma grande quantidade de listras coloridas vivas e são crespas, largas e pontiagudas.


begonia rex silverA Begonia rex, originária da Índia, possui grande variedade de híbridos. Suas folhas aumentam quando se removem as flores insignificantes. As folhas da 'Her Majesty' são largas, roxo-avermelhadas, com zonas verde-oliva matizadas de branco-prateado; as da 'Silver Queen' apresentam cor cinza-prateada, com veios centrais azuis-esverdeados; as da 'Merry Christmas' são lisas, com uma zona central roxo-avermelhada, áreas rosa-prateadas e verdes, e bordas lilás-rosadas. Mais densa, a 'Helen Teupel' possui folhas ovais e pontudas, vermelho-arroxeadas, com veios azuis-esverdeados.

begonia massonianaA B. masoniana (cruz de ferro) provém principalmente da China. Possui folhas acolchoadas, superfície pilosa verde-profunda e uma mancha semelhante a uma cruz de ferro marrom-arroxeada. Trata-se de uma planta robusta, de caules vermelhos recobertos por finos pelos brancos. De março a junho, aparecem flores branco-esverdeadas, com pêlos avermelhados.

A B. versicolor, uma pequena e atraente planta originária da China, apresenta folhas verde-escuras, com manchas em tons branco-prateado, verde-brilhante e bronze. Arredondadas, grossas e enrugadas, estas folhas são cobertas por milhares de finos pelos avermelhados.


No grupo das tuberosas a maioria é híbrida colorida com grandes flores singelas ou dobradas, que surgem no verão. Permanecem em estado dormente no inverno, ocasião em que suas partes verdes secam. As begônias tuberosas ajeitam-se bem em vasos pendentes, mas as verticais ficam igualmente graciosas num simples vaso.
Apresenta grande escala de cores e floresce por longo período.

A B. clarkei, originária da América do Sul, possui flores de cor rosa-pálida nos meses de verão.  Desta begônia derivam as adoráveis híbridas.

A B. pearcei, da América do Sul, produz vibrantes flores vermelhas no verão. Delas também surgiram híbridos.

O grupo das fibrosas apresenta folhas permanentes, embora algumas percam suas folhas durante o inverno. É o grupo de begônias mais alto, algumas crescendo até 90 cm de altura. Possuem folhas assimétricas em forma de coração, das quais várias são pilosas. Algumas begônias de raízes fibrosas formam arbustos e outras são rasteiras, mas to
das produzem enormes quantidades de belos cachos de flores.
A begônia fibrosa, uma das mais populares plantas de interior, pode apresentar flores singelas ou dobradas. Ela floresce por meses, até se exaurir, devendo então ser substituída.

A
B. venosa, proveniente do Brasil, é uma suculenta que atinge 60 cm de altura. De suas hastes grossas e eretas, saem folhas em forma de taça, na cor verde-escura. Tanto as folhas como a haste são recobertas por uma camada branco-acinzentada, semelhante ao feltro.

A B. incana, do México, é outra suculenta. Trata-se de uma planta espessa, carnosa, de hastes eretas cobertas por finas camadas esbranquiçadas. As folhas apresentam-se em forma de escudo, com finos pelos brancos na superfície superior e verde-pálida na posterior. No verão, produz flores brancas em forma de gota.

A B. metallica, do Brasil, é pontuda, oval, de cor verde-metálica, com profundos veios arroxeados, que se tornam vermelhos na parte inferior da planta. Esta espécie robusta possui flores levemente pilosas, de tom rosa-claro.

A B. fuchsioides é originária do México. Desde o fim da primavera até o verão, apresenta lindas flores parecidas com as do brinco-de-princesa, nas cores vermelha ou rosa, penduradas numa longa haste com pequenas e lustrosas folhas ovais.

A B. scharffii ou B. haageana provém do Brasil. E uma planta ereta que cresce até 60 cm. As folhas sedosas possuem cor verde-amarelada, muito escura, com as bordas completamente vermelhas. Cachos de flores rosa-pálido surgem na ponta de suas hastes.

A B. Iimmingheiana ou B. glaucophylla desenvolve-se bem melhor em vasos suspensos, pois suas hastes são rastejantes. As folhas podem ser verde-escuro, que vai do pálido ao brilhante, com bordas onduladas. Suas flores possuem um tom entre rosa-forte e coral, pendendo dos caules rasteiros.



Primavera e verão

Begônias rizomatosas: gostam de temperatura em torno de 15°C durante todo o ano. Para manter o colorido da folhagem e das flores, necessitam de sol brilhante. Dê três a quatro horas por dia de luz solar se desejar flores, mas deixe-as fora da luz direta do sol se preferir só folhagem.
Arranque com cuidado as hastes florais da Begonia rex para estimular a produção de folhas maiores.

Begônias tuberosas: conceda a suas plantas uma luminosidade moderada. Se a temperatura subir acima de 18°C, coloque sua planta sobre um prato com seixos molhados, proporcionando-lhe maior umidade. Regue moderadamente, deixando a superfície do composto secar de tempos em tempos. Use um fertilizante líquido que contenha potássio a cada duas semanas durante a estação de crescimento.
Regue menos à medida que a planta se aproxima do período latente, no fim do outono.

Begônias de raízes fibrosas: remova as folhas e flores mortas assim que aparecerem; se deixadas na planta, elas apodrecerão ou mancharão outras folhas.

Em setembro comece a regar para estimular o crescimento; molhe uma ou duas vezes por semana, aumentando as regas quando o clima esquentar. As folhas definham e as flores caem se você não der água suficiente à sua planta - mas não exagere. Volte a regar moderadamente assim que parar de florescer. Adube-a com fertilizante liquido a cada duas semanas, de outubro a março.

É importante que sua planta receba boa luz, mas nunca sol direto, o que queimará as folhas e as flores. Forneça uma temperatura de 15°C, ponha-a num local semisombreado, se a temperatura aumentar, tentando mantê-la até no máximo a 21°C. Certifique-se que o local esteja bem ventilado mas sem correntes de ar.

A umidade é essencial, no entanto seja cuidadoso para que o seu pulverizador não manche as plantas. Borrife antes que os raios de sol atinjam sua planta, uma vez que os pingos causarão marcas de queimado nas folhas.

Outono e inverno

Begônias rizomatosas: ágüe suas plantas moderadamente no inverno, deixando a superfície do solo secar entre as regas. Mantenha-as em local sombreado onde o ar não seja muito seco. Não adube durante o inverno. Replante se for necessário, durante esse período, em um composto à base de turfa, juntando uma parte de terra arenosa grossa ou areia para três partes de composto.

Begônias tuberosas: pare de regar quando as folhas começarem a cair no outono. Mantenha a planta dormente na temperatura de 13°C e deixe-a sob luz forte, porém filtrada. Os híbridos semituberosos deverão ser mantidos apenas úmidos durante o inverno. Replante-os em composto básico de turfa e, para se assegurar de uma boa drenagem, coloque cacos de vaso no fundo do recipiente.

Begônias de raízes fibrosas: se sua planta está torta, pode-a para dar-lhe uma boa forma, removendo todos os brotos fracos. Replante antes da época de crescimento, em fevereiro, se a planta já extravasou o vaso. A temperatura ideal para a begônia é de 15°C. Ajuste as regas às suas condições: se a temperatura for baixa, molhe menos.

Propagação

Begônias rizomatosas: o corte das folhas é o melhor modo de propagar a Begônia rex. Corte através dos veios na parte inferior da folha, com uma faca limpa e afiada (ou corte em quadrados como indicado nas figuras) e deixe a folha com o lado inferior para baixo, num tabuleiro que tenha um composto com uma parte de turfa e uma de areia; mantenha-os numa atmosfera úmida, com pouca luz. Finos brotos despontarão dos fragmentos cortados. Dê mais luz à medida que se desenvolvam.
 

Para propagar a Begonia rex escolha uma folha saudável e separe-a da planta junto à base. Remova a haste com cuidado e corte a folha em tiras de aproximadamente 25 cm de largura. Retire as bordas denteadas e corte com uma faca limpa e afiada as secções da folha em quadrados. Coloque os pedaços sobre o composto de turfa e areia, dando-lhes espaçamento.

Begônias tuberosas: recolha os pequenas tubérculos que se formam nas junções da folha, no outono. Deixe esses tubérculos numa caixa a 13°C até a primavera. Plante cada túbera em seu vaso, cobrindo-a somente com um composto de turfa umedecido. Deixe o composto apenas úmido e coloque os vasos em local claro. Assim que as túberas se desenvolverem, dê-lhes mais água pouco a pouco.
Quando tiverem cerca de 8 cm de altura, poderão ser tratadas como begônias tuberosas adultas, embora levem dois anos para florescer.

Begônias de raízes: semeie em janeiro ou fevereiro quando a temperatura mínima oscilar entre 18 e 24°C. Espalhe as sementes uniformemente por sobre a superfície do composto e cubra com uma fina camada de areia. Deixe o solo úmido e num local sombreado até que as sementes germinem. Envolva o tabuleiro com um saco plástico transparente e mantenha-o aquecido. Assim que as sementes germinarem, vá gradativamente aumentando a luminosidade, mas não abandone-as sob sol direto e
reduza a temperatura para 18°C, fornecendo-lhes boa ventilação.

A estaca de galho ou de folha com 5 a 7 cm de comprimento enraíza rapidamente na primavera e no verão; mergulhe as pontas em hormônio de raiz em pó e plante cada uma em seu próprio vaso, com composto úmido. Mantenha-o em meia-sombra, úmido, na temperatura de 18 a 24°C.


Problemas & Soluções

Uma planta caída indica excesso de regas e exposição demasiada ao calor intenso. Mude-a para um local mais fresco e deixe a superfície do solo secar antes de regar novamente. Se um mofo cinzento aparecer nas folhas, providencie mais ventilação.

O míldio - conjunto de doenças das plantas causada por organismos parasitas da família Peronosporaceae que formam manchas descoloradas translúcidas nas folhas - também afeta as hastes e a parte posterior das folhas. Neste caso, deixe a begônia quase seca e aumente a ventilação, mas evite correntes de ar. Trate-a com fungicida, como o Benlate.
Regue com inseticida sistênico duas ou três vezes durante a época de crescimento, a fim de impossibilitar ataques de pragas a que estas plantas estão sujeitas, como pulgões e brocas. Evite que a planta se torne queimada, mantendo-a fora do sol forte. Tal cuidado também impedirá uma seca excessiva, que na certa mataria sua planta.



 


Direção e Editoria
Irene Serra