Ano 15 - Semana 769
 

Chifre-de-veado
Nome científico: Platyce-rium bifurcatum
Nomes Populares: Chifre-de-veado, platicério
Família: Polypodiaceae
Divisão: Pteridophyta
Ciclo de Vida: Perene






CUIDANDO DAS PLANTAS
ARQUIVO


 

Seja parceiro do
meio ambiente!

      06 de janeiro, 2012
---

Samambaia Chifre-de-Veado


O chifre-de-veado é uma planta herbácea bastante antiga originária da Austrália, Nova Guiné e Caledônia, e acredita-se que ela já existia na época dos dinossauros. Seu nome faz referência às suas folhas que lembram muito os chifres de um veado. É uma planta que se apoia em galhos ou troncos de árvores, mas ela não retira nenhum nutriente para sua sobrevivência, e por isso é considerada uma planta epífita. O clima do Brasil se mostra bastante favorável para o cultivo dessa espécie, pois o clima do país é muito semelhante com o de seus países de origem.

Tem rizoma curto produzindo dois tipos de frondes.
Uma basal,
estéril, tem forma de rim e parece uma lâmina. Serve para proteção das raízes contra danos mecânicos e contra a seca.  
Na base as folhas são mais arredondadas e nascem verdes, mas depois adquirem uma tonalidade amarronzada e se aderem à árvore ou qualquer outro substrato onde a folhagem está plantada.
Em algumas plantas deste gênero estas frondes formam uma espécie de coroa que capturam água e resíduos de folhas.
As frondes férteis têm esporos no lado inferior, com a aparência de um veludo marrom.
As folhas são verdes e firmes, possuindo a aparência de chifres de veado.


É uma folhagem muito usada pra ornamentar casas e jardins devido a sua beleza e visual exótico. No paisagismo presta-se para uso isolado ou em composição com outras epífitas, em muros ou árvores. Deve ser plantada preferencialmente na vertical.

O platicério tolera temperaturas de 5ºC, mas desenvolve-se melhor em regiões quentes e úmidas, cultivadas à meia sombra.

Precisa de substrato leve, humoso e fértil.
Misturar em partes iguais o composto orgânico completo, areia e pó de casca de coco.
Deixar antes este pó de molho em água por alguns dias, trocando a água para retirar os compostos fenólicos que poderão prejudicar o desenvolvimento da planta.

Local de cultivo e uso decorativo
Esta samambaia tolera sol pela manhã e pode ser cultivada sob árvores, em interiores bem iluminados, iluminação indireta, sendo ótima opção para quem deseja uma samambaia de grande porte.

Propagação de mudas do platicério
Para fazer a propagação do platicério usam-se os filhotes que surgem junto das matrizes ou então por esporos, no verão ou outono.
Os esporos situam-se nas pontas da parte inferior das folhas, parecendo uma ferrugem marrom lanosa. Passar de leve algodão ou esfagno e umedecer bem, deixando dentro de um vaso, mantendo sempre úmido. Dentro de algum tempo irão aparecer as pequenas plantinhas.
O chifre-de-veado gera brotações ou filhotes, que surgem nas paredes dos vasos e nas placas de xaxim. Para retirar estes filhotes, é preciso esperar que a muda comece a soltar as primeiras folhinhas compridas. Usando um canivete bem afiado, recorte o pedaço de xaxim onde está a muda e plante no novo local. Para dar maior firmeza, pode-se prender a plaquinha com a muda usando um pedaço de arame ou ráfia.

Cuidados com a samambaia Chifre-de-Veado

Na hora de plantar, você pode optar por placas de xaxim, tábuas de madeira onde o substrato usado pode ser o musgo esfagno e também pode ser usado um tronco de árvore já seco, que além de ser um bom lugar para o plantio ainda servirá como uma peça de ornamentação.

Como se trata de uma planta epífita, o chifre-de-veado não retira do substrato onde está plantado os nutrientes necessários para sua sobrevivência e por isso é necessário fazer uso de um adubo, sendo os líquidos os mais indicados. Basta misturar o adubo líquido à água em que for regar a planta, tomando sempre cuidado para não molhar as folhas com a mistura. As melhores épocas para a aplicação do adubo são a primavera e verão.

Em se tratando de água, o ideal é deixar o xaxim, árvore ou terra onde o chifre-de-veado estiver plantado, um pouco úmido, mas nunca encharcado para não provocar o apodrecimento da raiz. Algumas pessoas preferem esperar o substrato secar para assim regá-lo, mas como se trata de uma planta com muitas folhas, muitas vezes não é possível ver se a terra está seca ou não, uma boa saída é a rega por imersão, mergulhe a planta por 30 minutos na água, deixe escorrer o excesso e depois a pendure.

Com relação à temperatura, diz-se que o clima brasileiro é ideal para essa planta, porque ela sobrevive em temperaturas de 30 a 21º C, mas também aguenta as baixas temperaturas do inverno, até menos de 10º C.

Para escolher o local ideal da sua casa ou jardim para plantar o chifre-de-veado, procure um local iluminado, mas que não tenha sol direto, para não provocar a queimadura de suas folhas, uma brisa leve é bastante agradável para a planta.
 




 


Direção e Editoria
Irene Serra