Ano 20 - Semana 1.037

 

 

 
ARQUIVO de MÚSICA




15 de julho, 2017


A ERA DOS FESTIVAIS

 

Cândido Luiz de Lima Fernandes


Há cinquenta anos a música popular brasileira vivia uma fase de efervescência, com o advento dos festivais promovidos pelas emissoras de televisão. Tudo começou com o I Festival da TV Excelsior em 1965, que deu o primeiro prêmio a “Arrastão”, de Edu Lobo e Vinicius de Moraes, com a interpretação arrebatante de Elis Regina, que a partir de então se firmaria como a maior cantora do país. O II Festival da Excelsior, em abril e junho de 1966 revelou os compositores Geraldo Vandré (“Porta Estandarte”, em primeiro lugar) e Caetano Veloso (“Boa Palavra”, em quinto lugar). Mas o grande momento do ano de 1966 se deu nos meses de setembro e outubro com o II Festival da TV Record, Jair Rodrigues, Nara Leão e Chico Buarqueque dividiu as torcidas para duas músicas, “A Banda”, de Chico Buarque de Hollanda e “Disparada”, de Geraldo Vandré e Théo de Barros. Embora o júri tenha decidido dar o primeiro lugar para “A Banda”, canção delicada e alegre, interpretada por Nara Leão, que rapidamente se irradiou pelos lares brasileiros, o próprio Chico exigiu que o primeiro prêmio fosse dividido com a politizada “Disparada”, conduzida por Jair Rodrigues, Trio Novo e Trio Marayá. Ainda em 1966 foi realizado o I Festival Internacional da Canção Popular no Maracanãzinho, cuja vencedora foi ”Saveiros”, de Dori Caymmi e Nelson Motta, interpretada por Nana Caymmi.

O ano de 1967 foi marcante na história da música popular brasileira com a mudança de rumos e a revelação de grandes nomes de compositores e intérpretes. O III Festival da TV Record, também realizado nos meses de setembro e outubro, teve como vencedora a música “Ponteio”, de Edu Lobo e Capinan, interpretada pelo próprio Edu e Marília Medalha. O segundo lugar foi concedido a “Domingo no Parque”, de Gilberto Gil, que tornou conhecido o compositor, que defendeu a música ao lado de Os Mutantes. O terceiro lugar coube a “Roda Viva”, de Chico Buarque, cantada por Chico e MPB-4. No quarto lugar, “Alegria, Alegria”, de Caetano Veloso, revolucionou com a introdução das guitarras elétricas, interpretada pelo próprio autor e Os Beat Boys. Este Festival revelou ainda Sidney Miller com a melhor letra em “A Estrada e o Violeiro”, consagrou outra vez Elis Regina como a melhor intérprete em “O Cantador”, de Dori Caymmi e Nelson Motta e deu o prêmio de melhor arranjo a Rogério Duprat, em “Domingo no Parque”. Foi também este festival que lançou as bases para a constituição de um importante movimento da música popular brasileira, o Tropicalismo. Ainda em 1967, no mês de outubro, ocorreu o II Festival Internacional da Canção Popular, novamente no Maracanãzinho, que revelou o compositor mineiro Milton Nascimento, com a bela “Travessia”, composta em parceria com Fernando Brant, que obteve o segundo lugar, e “Morro Velho”, em sétimo lugar.

Em 1968 o IV Festival da Record deu vitória a Tom Zé, com “São, São Paulo, meu amor”, concedendo o segundo lugar a Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri e, “Memórias de Marta Saré” e o terceiro a Gilberto Gil, em “Divino Maravilhoso”, interpretada por Gal Costa. Também neste ano foi realizado o III Festival Internacional da Canção Popular no Rio de Janeiro, cujas vencedoras acirraram os ânimos do público. A vencedora “Sabiá”, de Tom Jobim e Chico Buarque, interpretada por Cynara e Cybele, foi a preferida da crítica e do júri, mas recebeu uma vaia avassaladora da plateia. O público queria que vencesse a engajada canção que ficou em segundo lugar, “Pra não dizer que não falei de flores”, de Geraldo Vandré.

Outros festivais foram realizados até 1972, quando perderam força, mas é preciso ressaltar que o triênio 1966-68 foi o período áureo da música popular brasileira, com os festivais que consagraram Chico, Edu, Caetano, Gil, Milton como alguns dos melhores compositores de nossa história e revelaram grandes intérpretes como Elis, Jair, Nara, Gal, Nana e MPB-4.



Para ouvir as músicas abaixo, copie e cole o endereço dos links:
- Arrastão: https://www.youtube.com/watch?v=oqsR46k-FM0
- Porta Estandarte: https://www.youtube.com/watch?v=FzF3hfiaAFA
- A Banda: https://www.youtube.com/watch?v=ZFf623HWhJ4
- Disparada: https://www.youtube.com/watch?v=82dRs2z6iQs
- Saveiros: https://www.youtube.com/watch?v=N3YpHfm5xDM
- Ponteio: https://www.youtube.com/watch?v=NJ8T64nAAHg
- Domingo no Parque: https://www.youtube.com/watch?v=nrstmBhpZts
- Roda Viva: https://www.youtube.com/watch?v=IpAR9DlQV6o
- Alegria, Alegria: https://www.youtube.com/watch?v=wWhnq5YcBfk
- A Estrada e o Violeiro: https://www.youtube.com/watch?v=MsY0QsgTQyQ
- O Cantador: https://www.youtube.com/watch?v=1BdEcRWnw6k
- Travessia: https://www.youtube.com/watch?v=tBa2Z28oPRU
- Morro Velho: http://www.kboing.com.br/milton-nascimento/1-48689/
- São, São Paulo, Meu Amor: https://www.youtube.com/watch?v=EhZd_eVld_U
- Memórias de Marta Saré: https://www.youtube.com/watch?v=buPkIazr-CU
- Divino Maravilhoso: http://www.dailymotion.com/video/x2p7zaj
- Sabiá: https://www.youtube.com/watch?v=Zhxcu55PRHI
- Pra não dizer que não falei de flores: https://www.youtube.com/watch?v=wkEGNgib2Yw

 

Cândido Luiz de Lima Fernandes é
economista e professor universitário em Belo Horizonte;
email: candidofernandes@hotmail.com



 


Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br