Ano 21 - Semana 1.071

 

 

 
ARQUIVO de MÚSICA




1º de abril, 2018


A nova turnê brasileira de

John Pizzarelli:

o show “Sinatra & Jobim @ 50”

 

Cândido Luiz de Lima Fernandes



No dia 11 de março tive o privilégio de assistir, no Grande Teatro do SESC Palladium, em Belo Horizonte, ao incrível show de John Pizzarelli em comemoração aos 50 anos do célebre encontro entre Tom Jobim e Frank Sinatra, registrado no disco de 1967 Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim. Há mais de um ano longe dos palcos brasileiros, Pizzarelli fez turnê em Fortaleza, Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, encerrando a temporada de shows em Belo Horizonte. Apresentou-se na guitarra, acompanhado ainda de Andy Watson (bateria), Konrad Paszkudzki (piano) e Mike Karn (baixo).

John Pizzarelli, mundialmente conhecido por sua técnica musical e seu carisma, homenageia neste show suas influências, tendo interpretado não apenas as canções de Tom Jobim cantadas por Sinatra, mas também músicas dos Beatles, Paul McCartney e George e Ira Gershwin. Pizzarelli abriu o show com três composições dos irmãos Ira e George Gershwin: I Got Rhythm, They Can’t Take Way From Me e Embraceable You. No segundo bloco, homenageando os Beatles e Paul Mc Cartney, tocou Here Comes The Sun, de George Harisson, em levada de bossa nova. Dos Beatles apresentou I Feel Fine, Honey Pie e And I Love Her. De Paul Mc Cartney tocou Silly Love Songs, My Love e Coming Up. Com sua habitual simpatia, contou “causos” dos Beatles, que lhe foram repassados por Paul Mc Cartney, e de Tom Jobim, lhe revelados por Daniel Jobim.

O ponto alto do show foi a apresentação das músicas do álbum Sinatra & Jobim @50. Nesta parte do show, Pizzarelli rende duas homenagens simultâneas. A primeira feita com o disco de mesmo nome, lançado no ano passado, que recorda os 50 anos de Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim, de 1967, um dos grandes encontros da música mundial nos anos 1960. A segunda homenagem é aos 60 anos da Bossa Nova, completados em 2017. Na apresentação das músicas de Tom, Pizzarelli foi acompanhado do neto do maestro soberano, Daniel Jobim. John e Daniel repetiram no palco a parceria já consolidada em estúdio, pois Daniel também participou do disco, cantando Água de Beber, Dindi, Bonita e o medley Meditation/Quiet Night of Quiet Stars em dueto com Pizzarelli. Para finalizar, apresentou duas composições de Michael Franks: Two Kites e Antonio's Song, além de duas músicas feitas em parceria com sua esposa Jessica Molaskey: Canto Casual e She's so Sensitive.

Os críticos consideram o álbum Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim, de 1967, um de melhores da carreira de Sinatra, onde o cantor aparece fora de seu contexto habitual, apresentando-se com uma performance dominante e discreta sobre os ritmos suaves de Jobim e os arranjos de cordas de Claus Ogerman. As onze músicas do CD Sinatra &Jobim @50, lançado em 2017, editado no mercado fonográfico brasileiro pela gravadora Universal Music, são: Baubles, Bangles and Beads (George Forrest/Robert Wright; Água de Beber (Norma Gimbel/ Antonio Carlos Jobim/Vinicius de Moraes); Meditation/Quiet Nights of Quiet Stars (Norma Gimbel/ Antonio Carlos Jobim/Gene Lees/Newton Mendonça); Dindi (Ray Gilbert/Antonio Carlos Jobim/Aloysio de Oliveira); I Concentrate on You/Wave (Cole Porter/Antônio Carlos Jobim); Antonio’s Song (Michael Franks); Two Kites (Antonio Carlos Jobim); She’s so Sensitive (Jessica Molaskey/John Pizzareli); Bonita (Ray Gilbert/Antonio Carlos Jobim); If You Never Come to Me/ Change Partners (Irving Berlin/Ray Gilbert/Antonio Carlos Jobim/Aloysio de Oliveira) e Canto Casual (Manuel Mindlin Lafer/Jessica Molaskey/John Pizzarelli).

Em Sinatra & Jobim @ 50, tem-se a impressão de ouvir a voz de Tom quando seu neto Daniel canta músicas como o afro-samba Água de Beber (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1961) e canções como Bonita (Antonio Carlos Jobim, 1964) e Dindi (Antonio Carlos Jobim e Aloysio de Oliveira, 1959) – a primeira em bom português e as duas últimas nas versões em inglês com que foram lançadas nos Estados Unidos na década de 1960.

Na gravação do CD, Pizzarelli abriu mão de arranjos orquestrais e arregimentou o baterista Duduka Fonseca e o pianista Hélio Alves, músicos brasileiros que dominam tanto o idioma do jazz como a linguagem refinada do cancioneiro de Jobim.

Embora o disco seja um tributo ao histórico LP de 1967, Pizzarelli extrapola o repertório do álbum de Jobim com Sinatra, adicionando novas canções ao repertório clássico registrado pela dupla: Antonio’s Song feita pelo compositor Michael Franks e duas bossas de sua autoria – She’s So Sensitive (que tem a introdução instrumental de Insensatez (How Insensitive), de Tom, e Canto Casual, onde reproduz frases de violão de João Gilberto em seu álbum Amoroso. Pizzarelli também regravou afetivamente Two kites (Antonio Carlos Jobim, 1980), música que Tom lançou no álbum Terra Brasilis (1980) com o toque da guitarra de Bucky Pizzarelli, pai de John.

 

 

Cândido Luiz de Lima Fernandes é
economista e professor universitário em Belo Horizonte;
email: candidofernandes@hotmail.com

 


 

Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br