-

O Sonho Mais Lindo Sonhei


Sonia Alcalde


Vestido longo, azul-turquesa como seus olhos. Movimentos e sorrisos combinando com brilhos incrustados em seu traje divino. Conversamos longamente ou talvez tenham sido breves momentos que fizeram parar o tempo. Caminhávamos por um jardim glamoroso, de rosas sem espinhos em alas brancas, vermelhas e róseas... Não amarelas, essas não eram suas prediletas. Tentei lembrar-me das palavras, só retive a emoção. O semblante rejuvenescido guarnecido por cabelos brancos que a destacavam quando entrava em qualquer ambiente.

Ao acordar, ainda o inebriante perfume... A proximidade do Natal deve ter despertado o desejo de nos revermos. Há três anos nasceu uma vontade forte de se ver bonita, colocar roupa nova, comer iguarias e beber vinho... Parecia outra. Deu-nos alento, acreditamos em suas melhoras. A presença dos netos e bisnetas fizeram-na sorrir mais e compartilhar gracejos, bilusbilus. Fotos e karaokê a mantiveram acesa além da meia-noite: [...] Os sonhos mais lindos sonhei,/ De quimeras mil um castelo, ergui,/E no teu olhar, tonto de emoção,/ Com sofreguidão, mil venturas previ... [...]

Senti que estava exausta e feliz. Acomodei-a na cama e continuei atendendo aos familiares e amigos. Mais dois dias, a casa voltava ao normal. Não mais crianças, não mais netos e bisnetas. A árvore ainda piscava todas as noites. É de praxe só desmontá-la em janeiro, depois do dia seis, advertiu, baseada em sua crença. Deixamos até mais, ocupados com ela. Entrou em colapso, diversas internações em cinco meses para ver se conseguíamos retê-la, até que não deu mais.

As recordações são fortes em época de Natal. Aqueles que não têm mãe desde pequenos, aqueles que a viram partir já adultos. Lacuna preenchida com sonhos e aparições. Apareceu à sua irmã dizendo que estava bem. Nas preces, lembramos dela. Na hora de fazermos rabanadas e bacalhau a Gomes de Sá, lembramos dela. Gostava de chamego, de sentir rosto no rosto, o carinho de um bom papo, de recordar coisas que tinha vivido.

Seu último Natal por aqui. O último Natal também de uma grande amiga. Lá se foram juntar-se a outras estrelas. No azul do céu, nas noites de lua cheia... Devem estar passeando com nossos/seus amores entre rosas vermelhas, brancas de neve, cravos perfumados, altaneiros, cor-de-rosa, desejando a todos:

FelizNatalFelizNatalFelizNatalFelizNatalFelizNatal
FelizNatalFelizNatalFelizNatalFelizNatalFeliz

FelizNatalFelizNatalFelizNatalFelizNatalFelizNatal
FelizNatalFelizNatalFelizNatalFelizNatalFeliz
 

alcalde@alternet.com.br