-

Origem da música Noite Feliz


Em Oberndorf, pequena cidade da Áustria, véspera do Natal de 1818, o padre Joseph Mohr estava desesperado porque o órgão da igreja estava quebrado. A cantata de Natal seria um fiasco. Ele viera de Salzburgo e era no seu primeiro Natal naquela paróquia!

Pediu orientação a Deus, e se lembrou que dois anos antes havia escrito um poema simples, também na véspera de Natal, após uma caminhada no silêncio das montanhas e bosques daquela cidade. Procurou e encontrou o manuscrito do poema numa gaveta da sacristia.

Correu para a casa de um amigo músico, humilde, chamado Franz Gruber, e perguntou se poderia musicar aquele poema, para que todos pudessem cantar na missa de Natal.

Franz olhou e disse que sim, poderia, porque a letra era simples, e permitia uma melodia fácil. Mas tinha que ser tocada de violão, não havia tempo para nada mais elaborado.

O padre Mohr agradeceu e correu de volta para terminar de organizar os detalhes da missa.

À noite, Franz chegou na igreja com o violão e reuniu o coral para ensinar a música improvisada.

Que música era, afinal? Stille Nacht (traduzida em português como Noite Feliz).

Naquele Natal de 1818, os membros da igreja de Obendorf cantaram, maravilhados, aquela música tão simples e profunda, que se tornou a canção de Natal mais conhecida do mundo:

"Noite feliz, noite feliz/Ó senhor, Deus de amor/Pobrezinho nasceu em Belém/Eis na lapa, Jesus nosso bem/Dorme em paz, ó Jesus/Dorme em paz, ó Jesus.
Noite feliz, noite feliz/Eis que no ar vem cantar/Aos pastores os anjos dos céus/Anunciando a chegada de Deus/De Jesus, Salvador!/De Jesus, Salvador!"

Como ela se espalhou?

Semanas depois, o técnico que veio consertar o órgão ouviu a história do padre e pediu para tocar a música. Ficou tão impressionado que repartiu a melodia pelas igrejas por onde passava, até que chegou aos ouvidos do Rei William IV da Prússia; e, enfim, a Nova York, em 1838.

O que começou como um momento de pânico e perspectiva de fiasco terminou como um presente de Natal para toda a humanidade em forma de música. Feliz Natal!

Em Oberndorf, hoje, encontra-se o Museu Noite Feliz e uma capela comemorativa.

Outros lugares dedicados a Joseph Mohr (autor do texto) e ao professor Franz Xaver Gruber (autor da música) podem ser encontrados:
em Arnsdorf (uma cidadezinha próxima a Oberndorf onde se localiza a antiga escola e a casa de Gruber),
em Wagrain (cidadezinha na região de Pongau, nos arredores de Salzburgo, em cujo cemitério encontra-se o túmulo de Joseph Mohr)
e em Hallein (cidade ao sul de Salzburgo, onde fica a casa onde Gruber viveu por 28 anos e também o seu túmulo. A casa transformou-se no Museu Stille Nacht, que mantém dois rascunhos documentando a criação da canção.)