-

Natal


Edgar V. M. Serra


Minha mãe curvou-se para me levantar:
"Olha o presépio, filho, é Natal".
Havia uma grutinha com gentes e animais;
Ficava no alto de uns grandes degraus.

Eu entendia tudo do pequeno altar:
Três reis traziam presentes porque era Natal.
Uma estrela pendurada era para fazer sinais.
E dentro, um bebezinho sério... porque era Deus.

Só não compreendi porque Jesus
Quis vir ao mundo em forma de menino.
Podia vir já grande, como o meu pai.
Ou mesmo um anjo em luz ao som de um hino.

Tantos Natais já se passaram,
Tantos presentes já ganharam
Tantos presépios já fizeram,
Tantas crianças já nasceram.

Os degraus não mais são grandes,
As estrelas não mostram caminhos,
Os reis não dão presentes...
... Mas um bebê sorri abrindo os bracinhos!

Eu me curvei pra levantar
Com muito amor o pequenino.
Somente então compreendi porque
Jesus quis vir em forma de menino.
 

Que o espírito de Natal desperte em nós a criança que transborda amor.


evm.serra@gmail.com