Ano 12 - Semana 647



 ARQUIVO

 

      29 de agosto, 2009
---

Sítio Burle Marx


 

Em 1949, Roberto Burle Marx e seu irmão Siegfried adquiriram o Sítio Santo Antônio da Bica, que possuía uma antiga casa de fazenda e uma pequena capela do século XVII, dedicada a Santo Antônio.

Burle Marx restaurou ambos os prédios e começou a trazer para este local sua coleção de plantas, iniciada quando ele tinha 6 anos de idade.

Em 1973, mudou-se de Laranjeiras - um bairro da zona sul do Rio de Janeiro - para o Sítio, vivendo aí até sua morte em 4 de junho de 1994.


Burle Marx doara o Sítio ao governo brasileiro em março de 1985, pretendendo garantir a integridade da propriedade como um todo, bem como criar uma escola dedicada ao paisagismo, botânica e artes em geral, além de deixar para as gerações futuras o inestimável jardim botânico que criou e as coleções de arte e artesanato adquiridas ao longo de sua vida.
Aí se incluem suas próprias pinturas, desenhos, murais em azulejos e tecidos, bem como coleções de vidros decorativos, imagens sacras barrocas em madeira, cerâmica pré-colombiana e uma excepcional coleção de cerâmica primitiva oriunda do Vale do Jequitinhonha (estado de Minas Gerais, Brasil).

Em seu Conselho Consultivo, o Sítio possui alguns dos mais importantes botânicos brasileiros e é uma unidade especial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), órgão do Ministério da Cultura do Brasil.

Numa área de 350.000m2, Burle Marx conseguiu reunir uma das mais importantes coleções de plantas tropicais e semi-tropicais do mundo.

Ao lado dos jardins ao ar livre, esta magnífica coleção apresenta aos visitantes mais de 3.500 espécies de plantas, entre as quais se encontram exemplares únicos das famílias: Bromeliaceae, Cycadaceae, Heliconiaceae, Marantaceae, Araceae, Palmae e Velloziaceae, incluindo o pau-ferro (nativo do Brasil) e plantas raras como a palmeira-laca (originária da Malásia).

O Sítio Burle Marx é visitado por muitas escolas e, a fim de que estas visitas tenham o máximo de aproveitamento, há treinamento prévio dos professores para que estes preparem seus estudantes antes da visita. Com o apoio da Sociedade de Amigos de Roberto Burle Marx, são realizados vários concertos musicais no prédio do Ateliê, encontros e cursos são realizados em um auditório e duas salas de aula.

No sítio ainda podem ser visitados a capela beneditina, a primitiva sede da fazenda, o antigo e o novo ateliês.

No dia 13 de junho, Dia de Santo Antônio, a comunidade de Guaratiba se reúne-se para uma procissão religiosa que se forma no portão de entrada do Sítio e que sobe o morro por sua rua principal até a Capela, onde é rezada uma missa e, ao final, as crianças fazem a coroação de Santo Antônio. Durante o restante do ano, aos domingos, a Capela é também usada pelos habitantes dos arredores, como já faziam seus ancestrais nos últimos 300 anos. 
 


Localização: Estrada da Barra de Guaratiba, 2019
Bairro de Guaratiba
Tel: (21) 2410-1171, 2410-1412
E-mail: srburlemarx@ax.apc.org

O Sítio não é aberto ao público para passeios livres. As visitas são guiadas, diariamente, às 9h30min e 13h30min.
É necessário marcar, com antecedência, por telefone entre 9h e 14h. A duração é de 1h30min a 2h.

 

Direitos autorais reservados

 





Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br