Luiz de Aquino

Rios

(ao Rio de Janeiro, minha cidade-adolescência)


Os rios são grandes,
visuais, palpáveis. 
Alimentam, dão e permitem 
a vida 
e correm morosos 
às vezes, 
às vezes céleres 
e só têm um destino. 

Rios são valsas Danúbio, 
poemas Tâmisa e Sena 
e Reno e Pó, 
são lendas Amazonas 
e esperanças São Francisco, 
Araguaia e Xingu. 
E ainda certezas Grande, 
Paraná, Tocantins. 

Mas há um rio no fundo 
dos olhos 
e à tona de todas as lembranças. 
Rio de imagens e gente feliz, 
Rio samba, futebol e cachaça, 
Rio trabalho, escolas, ternuras 
e lembranças as mais doces 
os anos adolescentes. 

Conhece o Rio de Janeiro?