Ano 15 - Semana 785

 

 ARQUIVO dos
Pontos Turísticos
e Históricos



Invista em cultura!

         04 de maio, 2012
---

Arquipélago das Cagarras

É uma unidade de uso sustentável, parte integrante da ARIE (área de relevante interesse ecológico)*, situada no Oceano Atlântico, ao largo da Praia de Ipanema, no Estado do Rio de Janeiro. Constitui,  o mar territorial, uma extensão de 2 km de raio em torno de cada ilha.

O Arquipélago das Cagarras, popularmente conhecido simplesmente como Ilhas Cagarras, é formado por três ilhas principais (Cagarra, Palmas e Comprida), duas lajes (Matias e Praça Onze, entre as ilhas Cagarras e Comprida), rochedos e ilhotas. Distante cerca de 5 km ao sul da praia de Ipanema, o local é de fácil acesso para interessados em conhecer as belezas da cidade a partir de um ângulo pouco comum: do mar para a terra.

Foto de Marcelo Basilone
Ilha Comprida e ao fundo o Maciço da Tijuca


Ilha das Palmas


Ilha Cagarra


Não há consenso entre os autores sobre a origem do nome do arquipélago. A versão mais comumente aceita refere que a toponímia seria devida à grande quantidade de excremento das aves marinhas que habitam, nidificam e se alimentam nas suas ilhas. Após se alimentarem, principalmente de peixes, excretam suas fezes (guano), ricas em cálcio, nas encostas rochosas das ilhas, manchando-as de branco. O guano também é rico em fosfato, um fertilizante natural para as algas microscópicas que constituem a base da teia alimentar na maioria dos ambientes marinhos, o fito plâncton.

Em 1730, a Cagarra, ilha principal do arquipélago, figura numa carta náutica com o nome afrancesado de "Ilha Cagade". Em outra carta, datada de 1767, a mesma ilha figura com a sua denominação em português: "Ilha Cagado".

Um outro fato, no mínimo curioso, é que o nome do arquipélago é o mesmo de uma ave, que vive nos arquipélagos da Madeira e dos Açores (territórios portugueses): a cagarra ou cagarro, "Calonectris diomedea", mas não é encontrada nas ilhas brasileiras.

Desde abril de 2010 o arquipélago passou a ser "Monumento Nacional das Cagarras", portanto, uma unidade de preservação ambiental, com o objetivo de preservar este paraíso ecológico. Um monumento natural é um tipo de área protegida prevista na legislação federal dedicado a defender a integridade de locais com grande beleza. É uma espécie de "parque nacional" que pode conter áreas particulares, que permite a presença de pessoas em seu interior e atividades turísticas que respeitem as regras do plano de manejo.

O monumento é formado pelas ilhas Cagarra, Palmas, Comprida, Filhote da Cagarra, Redonda e Filhote da Redonda, incluindo dez metros de mar ao redor delas. No caso da ilha Rasa, também parte da unidade de conservação, a área marinha protegida é de 200 metros em seu entorno.


Ilha Redonda e Filhote da Redonda


Ilha Rasa e seu farol que, à noite, exibe dois lampejos brancos e um vermelho
visíveis da orla de Copacabana, Ipanema e Leblon.
 

fragatasA vegetação das Cagarras é típica da Mata Atlântica com forte ocorrências de bromélias, clusias, orquídeas, filodendros gramíneas e algumas árvores como palmeiras, espécies resistentes à insolação, maresia e ventos constantes - e, sobre elas, voam atobás, garças, gaivotas, gaviões, joão-grandes (conhecidos como fragatas ou tesourões), maçaricos, corujas, trinta-réis, bem-te-vis, biguás, urubus (estes, mais comuns nas ilhas onde ocorre lixo derivado dos acampamentos desordenados), entre outras espécies.

A área das Cagarras serve de abrigo para inúmeras espécies de animais, de alimento para peixes e tartarugas, contribui para a produção primária através de cianobactérias associadas e participa de processos de erosão e sedimentação em alguns ambientes marinhos.

Dentre os invertebrados marinhos destacam-se equinodermos, moluscos, crustáceos, esponjas - animais muito antigos do ponto de vista evolutivo, sésseis (sem locomoção ativa), filtradores e que desempenham importantes papéis nas comunidades marinhas bentônicas (associadas ao fundo) e de grande valor científico e econômico, já que são fontes de compostos bioativos com interesse farmacológico.

No fundo de suas águas, encontramos uma enorme variedade de peixes, além das visitas constantes de tartarugas, golfinhos e até baleias, reforçando a necessidade de preservação.

Foto de Liliane Lodi

A pesca é praticada quase diariamente,  devido o valor comercial de algumas espécies, como polvo, lagosta, garoupa e badejo.

Fora d'água destaca-se ainda a incrível vista que se tem do Rio, com seus principais cartões-postais reunidos: Pão de Açúcar, Corcovado, pedra da Gávea, pedra Bonita, pico da Tijuca e do Papagaio. A beleza cênica, o contato com a natureza, a qualidade da água e o fato de estar a apenas uma hora e meia de barco da cidade atraem cada vez mais pessoas.

Foto de Marcelo Basilone
Ilha das Palmas e Ipanema


* ARIE: área de relevante interesse ecológico, região que possui características naturais extraordinárias ou que abriga exemplares raros da biota regional, preferencialmente declarada - pela União, Estados e municípios - quando tiver extensão inferior a cinco mil hectares, com pouco ou nenhuma ocupação humana e que possui características naturais excepcionais ou abriga exemplares raros da biota regional, exigindo cuidados especiais de proteção por parte do Poder Público. Objetiva manter os ecossistemas naturais de importância regional ou local e regular o uso admissível dessas áreas, de modo a compatibilizá-lo com os objetivos de conservação da natureza.

 

Direitos autorais reservados

 



Você conhece algo interessante sobre o Rio?
Envie o texto que publicaremos.


Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br