Ano 16 - Semana 838

 

 ARQUIVO dos
Pontos Turísticos
e Históricos

Síntese geográfica da Cidade do Rio de Janeiro


Hino da Cidade

Mapa do Estado do
Rio de Janeiro




Invista em cultura!

         03 de maio, 2013
---

Museu da Vida


O Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), inaugurou em 26 de abril a exposição Floresta dos Sentidos, que aborda temas atuais relacionados à biodiversidade das florestas brasileiras, como o tráfico de animais, a disputa por recursos entre espécies nativas e invasoras e a biopirataria (apropriação de conhecimento gerado a partir da fauna e flora). A mostra pretende aguçar os sentidos do público infantojuvenil por meio de brincadeiras educativas e atividades interativas. A exposição fica em cartaz até o final de julho no campus da Fiocruz, em Manguinhos, na zona norte do Rio.

Organizada pela coordenadora de visitação do museu, Rosicler Neves, pela pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Daniela Uziel, e pela diretora do museu e divulgadora de ciências, Luisa Massarani, a exposição tem o intuito de ser uma ferramenta lúdica para sensibilizar os jovens a respeito das questões ambientais. “As crianças são cientistas naturais. Muito curiosas, sistematicamente, elas tentam entender como as coisas funcionam e o como é o mundo ao seu redor”.

As experiências educacionais comprovam a grande habilidade do público infantojuvenil para lidar com assuntos da ciência. “Isto faz com que atividades de divulgação científica voltadas para essa audiência tenham grande potencial para permitir que se desenvolva uma base científica duradoura em suas mentes, como parte de sua vida intelectual individual e até mesmo posteriormente, como adultos”.

O bicho-preguiça foi o mascote escolhido para representar a mostra, e dá boas-vindas aos visitantes em um vídeo em uma tela sensível ao toque. Além disso, o mascote auxilia o público a fazer o ciclo de atividades, em conjunto com os mediadores do museu, que ficam disponíveis para orientar e esclarecer as dúvidas dos visitantes.

Durante as sessões, os jovens são divididos em grupos de 20 pessoas e recebem um kit, contendo lanterna, lupa, bloco de anotações e corda para explorar a floresta artificial construída especialmente para a mostra. As crianças são incentivadas a encontrar diferentes espécies animais com o objetivo de descobrir pistas escondidas no cenário, em uma proposta semelhante a um jogo de “caça ao tesouro”.

A montagem do espaço foi feita em tamanho proporcional ao das crianças, de forma que elas realmente se sintam no interior de uma floresta. É um microcosmos da realidade: as espécies nativas e introduzidas, bem como a vegetação são reproduzidas fielmente.

Daniela Uziel destaca a Caverna dos Sons, uma das principais atividades da mostra. “Em meio à brincadeira, os pequenos se encantam com uma caverna que reproduz os sons da fauna brasileira, como o coaxar de uma rã ou o zumbido de um mosquito, e podem desvendar com as próprias mãos os segredos escondidos no tronco do toca-toca”, disse.

Produzida pelo Museu da Vida, Casa de Oswaldo Cruz, Fiocruz e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), a mostra é parte do projeto Ciência para Pequenos Curiosos.

Com entrada gratuita, a visitação ocorre de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 16h30, mediante agendamento pelo telefone (21) 2590-6747 ou pelo e-mail recepcaomv@coc.fiocruz.br. Aos sábados, a visitação é livre, das 10h às 16h.

 



Você conhece algo interessante sobre o Rio?
Envie o texto que publicaremos.


Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br