Ano 9 - Semana 435

 
   
ARQUIVO




CREMERJ
Praia de Botafogo, 228 Botafogo - CEP: 22359900 Tel: (21) 2559-0018
E-mail:
www.cremerj.com.br/


CRO-RJ
R. Araújo Porto Alegre 70, 4º e 5 andar
Castelo - CEP: 20030015
Tel: (21) 2533-7173
www.cro-rj.org.br


 

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.
 

  30 de julho, 2005
---

Medicamento contra depressão menos tóxico


NOVA YORK. Milhares de pessoas com depressão até hoje sem tratamento poderão ser beneficiadas por uma nova droga apresentada nos Estados Unidos. A droga MK-869 foi testada com sucesso em animais e num pequeno grupo de pessoas. Testes com um número maior de pessoas devem começar dentro de pouco tempo. Num estudo publicado na revista "Science", uma das mais respeitadas do mundo, os pesquisadores disseram que o remédio atua sobre uma substância cerebral ligada à depressão e até agora incontrolável. No testes, a MK-869 não causou qualquer efeito colateral.

O alvo da MK-869 é a substância P, um composto químico do cérebro ligado não só à depressão, mas também à ansiedade, enxaqueca, asma e dores em geral. Os mecanismos da nova droga ainda não são bem conhecidos, mas os cientistas imaginam que ela sirva como uma ponte entre a substância P e estruturas das células nervosas encarregadas de receber suas mensagens químicas.

A substância P é pesquisada há mais de 30 anos, mas esta é a primeira vez que se consegue desenvolver uma droga que atue sobre ela. O estudo, liderado por cientistas do Centro de Pesquisa Merck, em Nova Jersey, revelou que a MK-869 alivia o sintomas da depressão com menos efeitos colaterais que os remédios existentes. Atualmente, a depressão é combatida com Prozac, Zoloft e outros medicamentos que controlam os níveis do neurotransmissor serotonina, também relacionado à depressão. Porém, essas drogas podem causar, por exemplo, disfunções sexuais.


Fonte: O Globo

 



Direção e Editoria
Irene Serra