Ano 9 - Semana 447

 
   
ARQUIVO



A Acupuntura atua pro-curando restabelecer o equilíbrio perfeito das cor-rentes elétricas do orga-nismo.
Esta técnica começou há mais de 5 mil anos na China, e hoje está muito desenvolvida, até com a utilização de equipamen-tos eletrônicos.
Devido à sua grande efi-cácia, a Acupuntura propa-gou-se em vários países, entre eles a Itália, Japão, Espanha, Inglaterra, EUA, URSS,  Coréia, França e China.

 

    22 de outubro, 2005
 

Obesidade e Acupuntura
um tratamento natural

Dra. Rosangela F. de Sousa

A obesidade é um tema universal e um dos problemas de mais difícil solução da Medicina Moderna. Enquanto a ingestão insuficiente de alimentos provoca a morte por  subnutrição de milhares de pessoas nos países subdesenvolvidos, nos países industrializados ou em desenvolvimento, outras tantas pessoas comem demais, praticando pouco ou nenhum exercício, correndo o risco de morrerem precocemente por enfermidades provocadas direta ou indiretamente pela obesidade.

Estudos realizados na Alemanha, constataram que, quando o excesso de peso de uma pessoa ultrapassa 10%, o seu período de vida é reduzido em 18% e quando esse excesso supera os 30%, o tempo de vida diminui drasticamente para 50%. É preciso ressaltar que nem todo excesso de peso é sinal de obesidade, assim, deve-se distinguir a corpulência (aumento de peso devido a um grande desenvolvimento de músculos e do esqueleto) e o edema (excesso de peso pela acumulação anormal de água nos espaços intercelulares).

A obesidade consiste então em um incremento do depósito de gordura, que se traduz pelo excesso de peso. A obesidade é o resultado de um balanço positivo de energia. Não há como acumular energia no corpo, se não ocorrer uma ingestão excessiva de nutrientes ricos em energia (gorduras e proteínas), que suprem em excesso o gasto do organismo humano. A obesidade é o protótipo da nutrição inadequada na vida moderna. Recentemente foram realizadas pesquisas em diversos países da Europa e da América, onde ficou demonstrado claramente, que quase metade das mulheres e um terço dos homens são obesos.

CAUSAS E ORIGENS

A causa imediata da obesidade é a ingestão excessiva de energia, ainda que sobre este fato incidam múltiplas causas endógenas (genéticas, endócrinas, neurológicas e metabólicas) e exógenas (psicológicas, sociais e culturais). Há tempo se fala em uma tendência hereditária, de uma "disposição natural do indivíduo” como a primeira causa da obesidade. Até o presente momento não se comprovou o fator genético, como causa predominante nos males da obesidade. As glândulas endócrinas têm sido culpadas, com excessiva freqüência , como responsáveis pela obesidade, enquanto só têm um parte na culpa da má distribuição e organização da gordura corporal.

A obesidade pode acompanhar certos problemas endócrinos, mas a maioria dos  obesos não apresentam transtornos endócrinos que justifiquem seu excesso de peso. Certa habilidade para se desprender do excesso de energia ingerido acima de suas necessidades, constituiria o único mecanismo capaz de explicar como alguns comilões permanecem magros, enquanto problemas em lidar com esse excesso, sacrificam pessoas gordas que dizem comer pouco. O metabolismo básico do obeso apenas difere do que apresenta o sujeito não obeso.

UMA CAUSA DE DOENÇAS

Para qualquer pessoa comer é um prazer. Para outras, a comida pode converter-se num refúgio para "compensação". A obesidade pode provocar Stress emocional, que conduz o indivíduo a comer em excesso. Igualmente, pode surgir como defesa ou única fonte substitutiva de prazer em situações intoleráveis da vida. Nesse caso, se fala de uma "polifogia compensadora" de idéias sociais, profissionais ou sexuais não alcançados. Um bom exemplo é o da obesidade de certas donas de casa que, realizando seus afazeres, não encontram uma satisfação que as reconfortem plenamente. Apesar de tudo, a obesidade não é uma doença propriamente dita, mas sim uma causa de muitas. Entre as doenças mais comuns causadas pela obesidade estão: arteriosclerose, envelhecimento precoce, celulite, infarto do miocárdio, hipertensão arterial, distúrbios de ordem emocional, etc.

DIETAS

Apesar dos grandes males causados pela obesidade, deve-se tomar muito cuidado com as “drogas" que são usadas como moderadores de apetite e para outros fins, as quais podem resultar em danos bem maiores que a própria obesidade, muitas vezes levando a casos irreversíveis. Existem muitas dietas, algumas com ótimos resultados e sem necessidade do uso de "drogas", outras baseiam-se na ingestão de compostos, que levam o paciente a problemas graves, tais como: a desidratação, desnutrição, dependência física e psíquica, insônia, nervosismo, irritabilidade, tonturas, cansaços, entre outros.

A ACUPUNTURA E O TRATAMENTO DA OBESIDADE

Um dos métodos naturais para emagrecimento é a Acupuntura, que não prevê o uso de medicamento e é de eficácia comprovada. A Acupuntura atua procurando restabelecer o equilíbrio perfeito das correntes elétricas do organismo. Esta técnica começou há mais de 5 mil anos na China, e hoje está muito desenvolvida, até com a utilização de equipamentos eletrônicos. Devido à sua grande eficácia, a Acupuntura propagou-se em vários países, entre eles a Itália, Espanha, Inglaterra, EUA, URSS, Japão, Coréia, França e China.

A Acupuntura tem duas estratégias básicas para auxiliar na perda de peso. O método de tratamento mais tradicional consiste em considerar a obesidade como uma conseqüência de maus hábitos alimentares, podendo ser comparado ao tabagismo. Esse método utiliza a Aurículopuntura. O tratamento de obesidade pela Aurículopuntura, consiste em implantar agulhas auriculares convencionais, presas com fita adesiva específica, que são trocadas semanalmente (o ideal é serem trocadas a cada 4 dias). Alternativamente, podemos aplicar agulhas removíveis, utilizando como auxiliar no tratamento a acupressão, que consiste na aplicação de pequenas bolinhas metálicas ou sementes, fixas por fita  adesiva no pavilhão auricular. O método alternativo utiliza um conjunto de pontos do corpo, escolhidos criteriosamente, de acordo com as necessidades terapêuticas do paciente. O tratamento consiste na aplicação de agulhas removíveis em pontos específicos do corpo, de acordo com as necessidade individuais. Após essa terapia, pode ser  utilizada como complemento terapêutico, a moa.

Esses tratamentos devem ser realizados uma ou duas vezes por semana, de acordo com a evolução da terapia. Pessoas com tendência à obesidade podem experimentar um aumento de peso após o encerramento do tratamento com Acupuntura, devido aos seus hábitos alimentares incorretos, havendo grande chance de retornar à condição de peso inicial. Assim, todo paciente deve rever completamente seu estilo de vida, seus hábitos alimentares, a retomada à prática de exercícios físicos, prevendo ainda, a repetição do tratamento algumas vezes no ano.

Colaboração da Dra. Rosangela Fernandes de Sousa
CREFITO-4542/F
 


 


    Direção
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br