Ano 9 - Semana 468
 

Importante:

Qualquer pessoa que sofra de paralisia, câncer,  lepra, AIDS e um série de outras doenças incapa-citantes, seja total ou parcialmente, tem direitos a isenções de impostos,  taxas, desconto no preço para compra de carros adaptados, passe  livre em metrô e transporte coletivo, remédios gratui-tos.

Entre os direitos que po-dem ser requeridos estão:

- Aposentadoria integral (mesmo sem contar com o tempo necessário  de contribuição ao INSS)
- Isenções de IR; CPMF; ContribuiçãoPrevidenciária
- Se houver deficiência física: isenção de IPI; ICMS; IOF e IPVA
- (isenção VTALÍCIA de IPVA) na compra de carro especial, ou adaptado". O preço do carro, nesses casos, cai em 30%. (trinta
por cento).
- Direito ao saque total de FGTS e fundos PIS ou PASEP.
- Direito da quitação de valor financiado (anterior à doença) para compra de imóvel.
- Atendimento médico domiciliar
- Remédios gratuitos; etc.
 


 

18 de março, 2006
 

O Pé Diabético



Quem é portador de diabetes deve ter um cuidado a mais com os pés. Este é o alerta do ortopedista Marco Guedes, especialista no tratamento de pacientes que têm os membros prejudicados pela neuropatia diabética, uma perda gradativa da função dos nervos dos pés e pernas devido ao diabetes. “Nem todos os portadores da doença têm problemas nos pés. Porém, quem sofre desta neuropatia pode perder a sensibilidade, ou seja, apresenta importante diminuição da sensação ao ter seus pés tocados. A perda de sensibilidade também pode ocorrer nos membros superiores, mas é muito menos comum”, diz o médico.

Em relação aos pés, Dr.Guedes explica que a neuropatia ocorre lentamente. Com a perda da sensibilidade, o diabético pode se machucar e não perceber. Como a cicatrização é prejudicada em portadores da doença, o machucado pode infeccionar e atingir áreas profundas do pé, podendo resultar até mesmo na amputação do membro. “Muitas pessoas conhecem algum diabético amputado, mas não sabem nem a causa da amputação nem que ela poderia ter sido evitada com a prevenção”, lamenta Guedes.

Gestos rotineiros, como andar descalço, podem ser um grande problema para o diabético, já que ele pode se machucar e nem sequer perceber. Até o contato com o solo quente – ou com areia da praia ou pisos muito quentes – pode causar ferimentos. O uso de calçados mal adaptados também pode gerar bolhas ou ferimentos, as temidas úlceras, que podem se formar em menos de uma hora. Por isso, é imprescindível que o diabético procure um médico especializado e peça para fazer exames para detectar se perdeu a sensibilidade nos pés.

“Para quem ainda não tem problemas sérios, o uso de calçados de conforto especiais para diabéticos ajuda muito a retardar ou mesmo evitar o problema”, diz o médico. Os sapatos devem ser totalmente forrados internamente e ser fabricados com material macio e que respire como o couro, nunca como o plástico. Já as meias devem ser de algodão ou de lã, sempre em cores claras. “A cor é importante porque se os pés eliminarem alguma secreção, ela logo se mostrará nas meias”, ensina Dr. Guedes. Também é preciso evitar materiais sintéticos, furos, dobras e costuras em relevo, bem como elásticos que possam prender a circulação dos tornozelos ou das pernas.


Dr. Marco Guedes dá algumas dicas aos diabéticos:

- A inspeção dos pés deve ser diária. Procure avermelhamento da pele, inchaços, bolhas, unhas inflamadas, proeminências ósseas e mudanças nos formatos de seus pés. Havendo qualquer alteração, mesmo que pequena, procure imediatamente um médico.

- Caso você tenha dificuldades de examinar seus pés, peça ajuda a alguém. Você também pode tentar olhar com um espelho ou com a ajuda de uma lupa.

- Tenha uma rotina de limpeza diária. Delicadamente, lave seus pés com água morna, nunca quente. Teste a temperatura da água com seu cotovelo, já que seus pés podem não senti-la adequadamente. Lave os pés com um pano macio e sabonete neutro. Enxugue os pés completamente, mas com delicadeza, principalmente entre os dedos. Use uma loção hidratante para peles secas, mas não a coloque entre os dedos.

- As unhas dos pés devem ser cortadas retas, com cortador de unhas. Não arredonde os cantos. É mais fácil lixar as unhas com uma lixa comum do quer corta-las, já que o risco é menor.

- Se você apresentar calos, isso significa que seu sapato o está machucando. Procure seu médico para que ele lhe indique o calçado correto.

- Jamais use sandálias de dedos, do tipo havaianas, que podem machucar entre os dedos.

- Sempre olhe dentro de seus sapatos, procurando por objetos estranhos, antes de calçá-los. Esteja seguro de que seu sapato esteja em boas condições, sem costuras soltas ou pregos.

- Amacie calçados novos gradualmente. Use-os por uma ou duas horas de cada vez e depois cheque seus pés no espelho, procurando por áreas avermelhadas.

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br