Ano 9 - Semana 484
 


Depilação a laser
Quem sofre com pêlos indesejáveis pelo corpo ou mesmo no rosto deve ver com bons olhos a chegada dos meses mais frios do ano. Afinal, é este o período ideal para se submeter à depilação a laser, procedimento segu-ro e tido como um dos mais eficientes da medi-cina estética.

 


 

08 de julho, 2006
 

CIRURGIA DE CATARATA GANHA MAIOR PRECISÃO


A catarata atinge quase metade (46,2%) da população mundial com mais de 65 anos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que no mundo 160 milhões de pessoas tenham a doença. No Brasil são 2 milhões e surgem 120 mil novos casos ao ano.

Com o avanço da idade os sinais de envelhecimento dos olhos ocorrem no cristalino, explica o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, diretor do Banco de Olhos de Campinas, médico do Instituto Penido Burnier e do Hospital Israelita Albert Einstein. Por volta dos 40 anos, observa, o cristalino perde a elasticidade e origina a presbiopia ou vista cansada que é a dificuldade de enxergar de perto Mais tarde começa a perder a transparência e sua opacificação é a catarata, maior causa de cegueira reversível no mundo.

Engana-se quem pensa que a catarata deva estar “madura” para ser operada. Queiroz Neto ressalta que quanto maior o avanço da doença, maiores são as chances de complicações cirúrgicas. Isso porque o cristalino torna-se muito rígido a ponto de em alguns casos ser necessário recorrer à técnica cirúrgica extracapsular que antecedeu à facoemulsificação, hoje utilizada em todos os grandes centros médicos. Além disso, comenta, a catarata madura pode impedir o implante de lentes intra-oculares multifocais que dispensam o uso de óculos em 80% dos casos.

Hoje a cirurgia é feita de forma personalizada, conforme o perfil clínico e hábitos de cada pessoa, e deve ser programada quando 60% da visão já foi perdida, ressalta. Um aparelho de ultra-som dissolve e aspira o cristalino para em seu lugar ser implantada uma lente intra-ocular que será permanente o que torna a escolha da lente bastante importante.

As bifocais, por exemplo, corrigem a visão de perto e de longe, mas não oferecem boa visão para a meia distância. Para quem trabalha em computador, comenta, as mais adequadas são as multifocais que permitem boa visão de perto, meia distância e de longe. Já quem tem hábito de dirigir à noite as multifocais apodizadas reduzem a visão de ’glare’ ou halos noturnos, além de terem proteção ultravioleta.

Queiroz Neto diz que as multifocais permitem corrigir miopia (dificuldade de enxergar de longe) e hipermetropia (dificuldade de enxergar de perto), sendo mais eficientes no segundo caso.

Porém não são indicadas para portadores de mais de um grau de astigmatismo (irregularidade na superfície da córnea), quem passou por cirurgia refrativa, portadores de catarata madura, degeneração macular, retinopatia diabética e doenças corneanas, ou pessoas que já tenham implantado lente monofocal em um dos olhos.

Os novos equipamentos cirúrgicos permitem que as incisões sejam menores. O resultado, ressalta, é uma reabilitação visual mais rápida e a redução do astigmatismo induzido cirurgicamente.

O especialista diz que entre os fatores de risco da doença estão os maus hábitos alimentares e o stress da vida moderna que induzem ao acúmulo de oxidantes, além da excessiva exposição à radiação ultravioleta emitida pelo sol. Só para se ter uma idéia, o risco de surgir a catarata aumenta em 60% para quem não protege os olhos do sol. Apesar de fazer parte do processo natural do envelhecimento, afirma que a prevenção pode retardar a doença.

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br