Ano 9 - Semana 487
 

08 de agosto
 Dia Nacional de Combate ao Colesterol 


 

   29 de julho, 2006
 

Controle do Colesterol


Existem remédios para controlar o colesterol alto, mas a prevenção da aterosclerose só acontece mesmo com uma mudança significativa no estilo de vida, através do controle do peso corporal, da pressão arterial e do estresse da vida diária. Em todos eles a dieta é fundamental.

Uma pesquisa do Hospital Albert Einstein, divulgada, recentemente, em São Paulo, realizada com 400 presidentes de empresas no Brasil, revela que a maioria dos altos executivos cultiva hábitos que comprometem a própria saúde e corre o risco de desenvolver doenças graves nos próximos anos. O retrato preocupante traçado pelo Hospital mostra que:
- 70% dos pesquisados têm sobrepeso;
- 62% são sedentários;
- 52% possuem taxas altas de colesterol;
- 27% apresentam índices altos de triglicérides;
- 23% acumulam gordura no fígado;
- 18% bebem mais que o recomendável;
- 17% sofrem de hipertensão arterial.

As conclusões do estudo apontam que 40% do grupo analisado apresenta um grande risco potencial de desenvolver depressão ou outros distúrbios psicológicos, 20% podem ser vítimas de doenças cardiovasculares e 16% têm a possibilidade de apresentar diabetes tipo 2. “Os dados da pesquisa relacionados à obesidade, diabetes e às altas taxas de colesterol e triglicérides evidenciam a relação existente entre esses elementos, tornando-os inteiramente interdependentes e revelando o alto custo a ser pago pelas pessoas que sacrificam os bons hábitos de saúde, principalmente os bons hábitos alimentares”, alerta a endocrinologista Ellen Simone Paiva, diretora-clínica do CITEN, Centro Integrado de Terapia Nutricional.

Dia Nacional de Controle do Colesterol

Com a proximidade do Dia Nacional de Controle do Colesterol, 08 de agosto, instituído em 2002, pelo Governo Federal, a médica faz algumas considerações sobre a importância da boa alimentação para manter o colesterol sob controle. “O colesterol alto não apresenta sintomas. Por isso, quem tem histórico de morte na família por infarto, derrame e outras complicações da aterosclerose, é obeso, sedentário e alimenta-se ingerindo grande quantidade de gorduras saturadas tem mais chances de ter colesterol alto e sofrer de aterosclerose”, alerta a médica.

Segundo Ellen Paiva, a maior parte do colesterol é fabricada pelo próprio corpo, cerca de 70%, no fígado, enquanto 30% provêm da alimentação. “Existem pessoas que já nascem geneticamente predispostas a serem grandes produtoras dessa molécula. Se elas conseguissem cortar todo o colesterol da dieta ainda não resolveriam seu problema e precisariam de remédios”, explica.

O colesterol e a dieta

Dentre os muitos elementos envolvidos no controle do colesterol, o equilíbrio entre medicação, dieta e exercícios, bem como o apoio do profissional de saúde, família e amigos constituem-se num diferencial na vida do paciente. A seguir, a diretora clínica do CITEN detalha em perguntas e respostas algumas indicações nutricionais para o controle do colesterol.

- Por que o colesterol alto é um inimigo da saúde?

Os vilões do colesterol são os hábitos pouco saudáveis na alimentação. Mas o problema é quando ele circula em excesso pelo organismo e acaba estacionando nas paredes das artérias, causando a formação de placas que acabam obstruindo-as, contribuindo assim, para o surgimento de uma doença conhecida por aterosclerose. Existe também uma predisposição genética para a doença, que combinada a outros fatores de risco podem levar ao infarto, derrame cerebral, invalidez precoce e morte.

- Existem sintomas evidentes que demonstram a alta da taxa do colesterol?

Não, muitas vezes, o indivíduo só vai saber que tem a doença tarde demais, quando um vaso sangüíneo se obstrui completamente. Algumas vezes, ele é alertado por sintomas como a obstrução arterial iminente: a angina, que prenuncia o infarto do miocárdio ou por dores nas pernas ao caminhar, que podem indicar a obstrução arterial periférica e chegar à amputação dos membros inferiores. A má circulação do sangue, causada pelo acúmulo de gordura nas artérias, prejudica a oxigenação do organismo como um todo.

- Qual o tratamento indicado para a arteriosclerose?

Existem remédios para controlar o colesterol alto, mas a aterosclerose só melhora com uma mudança mais significativa no estilo de vida. Reduzir o estresse, praticar exercícios físicos, manter a pressão arterial estável e o peso sob controle são fundamentais. As pessoas que têm diabetes devem ficar mais atentas para o surgimento da doença. Neles, os valores de normalidade do colesterol são ainda mais rigorosos.

- Quais as formas de prevenção à doença?

Quem tem predisposição genética deve procurar manter hábitos de vida saudáveis, evitando o fumo, controlando o colesterol e a pressão. Somando-se a esses esforços, o paciente deve seguir uma dieta saudável para reduzir sua taxa de colesterol.

- E quais são as principais orientações nutricionais para controle do colesterol?

(1) Alterar o consumo do leite e derivados para as versões desnatadas. Na corrida da indústria alimentícia para atender a demanda de alimentos nutritivos, menos calóricos e com sabor agradável o leite e seus derivados estão bem adiante. Os leites e iogurtes desnatados, os queijos magros e com baixo conteúdo em colesterol, as margarinas sem gordura trans hidrogenadas e com adição de fitosteróis, as maioneses sem colesterol têm chegado ao mercado atendendo a essa demanda de sabor e nutrição com baixas calorias;

(2) Aumentar o consumo de fibras solúveis, uma vez que são benéficas ao metabolismo em geral e ao das gorduras, em especial;

(3) Reduzir o consumo de carne vermelha e proteína animal, porque representam importante fonte de gordura e colesterol. O hábito do brasileiro de organizar um churrasco, a cada final de semana, faz das carnes vermelhas as grandes fontes de consumo de colesterol no Brasil;

(4) Evitar o consumo de camarão, frutos do mar e vísceras como fígado;

(5) Diminuir o consumo dos ovos, pois uma gema de ovo de galinha contém em média 300mg de colesterol, quantidade máxima recomendada de ingesta de colesterol para um dia inteiro. Sorvetes, doces gordurosos e bolos que levam ovos e manteiga em suas receitas também são ricos em colesterol.

- É recomendável a eliminação completa das gorduras de nossa alimentação?

A gordura, em quantidade adequada, é um macronutriente tão importante quanto os outros dois (carboidratos e proteínas), principalmente as gorduras insaturadas, encontradas no azeite, óleo vegetal, peixes de água gelada, como salmão e truta, nozes e castanhas. Além disso, a gordura é a grande responsável pelo sabor dos alimentos. Diferentemente do açúcar, que pode ser substituído pelos adoçantes, muitas vezes sem alterar o sabor dos alimentos, a gordura não tem um substituto à altura. Sempre que reduzimos as gorduras de nossa alimentação, reduzimos também um pouco do sabor dos alimentos. Isso acontece com as carnes, molhos, sopas, cozidos e refogados. Mas vale a pena tentar trocar o bacon pelo alho, abusar da cebola e de alguns condimentos como o gengibre, trocar a maionese pelo queijo cottage ou pelo molho de iogurte, reduzir o óleo vegetal, por mais que sua proporção entre as gorduras saturadas e poliinsaturadas seja favorável. Podemos fazer muito para reduzir o colesterol de nossa dieta, sem sacrificar o sabor das refeições.

- A proteína de soja é um bom instrumento para o combate ao colesterol?

Em fevereiro de 2006, em sua mais recente publicação, a Sociedade Americana de Cardiologia, por meio de seu Comitê de Nutrição, fez uma análise dos últimos 10 anos de pesquisa sobre os efeitos da proteína de soja e das isoflavonas no combate ao colesterol. Resultado: elas não conferem nenhum benefício no perfil lipídico, no colesterol e na pressão arterial, não sendo recomendado a sua utilização em suplementos alimentares ou pílulas. Por outro lado, muitos alimentos derivados de soja podem ser benéficos à saúde cardiovascular, devido ao seu alto teor de gorduras poliinsaturadas, fibras, vitaminas e minerais e ao seu baixo conteúdo de gordura saturada.

- E qual a eficácia dos fitosteróis no combate ao colesterol?

Um apanhado de 14 estudos científicos foi publicado em 2005, pelo American Journal of Cardiology, revelando que a suplementação de margarinas com os chamados fitosteróis foi capaz de reduzir os níveis do colesterol em 9-14%. Isso foi conseguido com 3g de fitosteróis ou o equivalente a 20g de margarina enriquecida com fitosteróis por dia – 1 colher de sopa cheia distribuído nas refeições.

- E além da orientação nutricional, quais os medicamentos empregados para o controle do colesterol?

A descoberta das estatinas revolucionou o tratamento medicamentoso do colesterol, pois algumas vezes, a dieta não possibilita ao paciente o alcance de um perfil normal de gorduras no sangue, devido a alterações no seu organismo que os tornam produtores de grande quantidade de colesterol. Nesses casos específicos, só a dieta não basta. Um grupo de medicamentos, as estatinas, têm um intenso efeito redutor do colesterol, além de benefícios reais na prevenção e tratamento das placas de gordura, responsáveis pelo surgimento da aterosclerose. Entretanto, devem ser utilizadas apenas com supervisão médica, pois apresentam contra-indicações e a possibilidade de efeitos colaterais sérios.

- E quem é diabético, também deve fazer o controle do colesterol?

Sim, os cuidados com a dieta devem ser redobrados pelas pessoas diabéticas, pois elas apresentam riscos de manifestações da aterosclerose de três a quatro vezes maior que as não-diabéticas. No diabético, os valores considerados normais para o colesterol são ainda mais baixos do que a população em geral.

 

 


 


 

Direção e Editoria - Irene Serra

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe