Ano 9 - Semana 487
 

SENTAR ERRADO PREJUDICA A SAÚDE

O ato de sentar é uma atividade dinâmica. Nin-guém consegue perma-necer por muito tempo em uma mesma posição.
Sentar de maneira incor-reta causa alterações músculo-esqueléticas, do-res e diminuição da habili-dade funcional.
No caso de pessoas porta-doras de deficiência física, em que o dinamismo des-ta atividade está preju-dicado, é importante a utilização de equipamen-tos e acessórios adequa-dos que proporcionam maior funcionalidade para manter a postura.
Em ambos os casos é preciso cuidados para manter a coluna ereta, evitando o surgimento de dores e deformações ósseas.
 


 

29 de julho, 2006
 

OBESIDADE

Segundo um estudo feito por renomados cientistas internacionais, a obesidade não se deve apenas a comer demais e à inatividade. Em todos os artigos que lemos atualmente, médicos e nutricionistas chamam a atenção para a verdadeira “epidemia” de obesidade nos Estados Unidos, responsabilizando dois importantes itens: consumo exagerado de alimentos industrializados (“junk-food”) e pouco, ou nenhum, exercício físico, sem se referir ao fato das pessoas passarem muitas horas do dia em frente à TV.

Alguns pesquisadores da Universidade do Alabama, dentre eles o Dr. David B. Allison, PhD, concordam que estes são os principais fatores na causa da obesidade mas acreditam que devamos dar importância também a outros. Justamente para incentivar o debate a respeito do tema, passaram a sugerir 10 (DEZ) outras possíveis causas para o excesso de peso.

Aí estão elas:
1-Privação do sono- pouco sono pode estimular ganho ponderal;
2-Poluição ambiental- nossos hormônios são responsáveis pelo nosso controle de peso e muitos fatores poluentes nos afetam nesse particular;
3-Ambientes com ar condicionado- queima-se mais calorias quando se sente calor e o uso corrente do ar condicionado em todos os ambientes tem diminuído nossa capacidade de gasto calórico;
4-Diminuição do fumo- fumar ajuda a reduzir peso e muitos habitantes de países desenvolvidos tem diminuído acentuadamente este hábito;
5-Medicamentos- muitos remédios contribuem para aumento do peso corporal. Dentre eles, anticoncepcionais, cortisona, drogas anti-diabéticas, alguns antidepressivos etc.;
6-Envelhecimento populacional e características étnicas;
7-Gestantes mais velhas- existe certa evidência que confirma que quanto mais velha a gestante, maiores as possibilidades de dar a luz a crianças com maiores riscos de obesidade;
8-Características hereditárias;
9-Obesidade ligada à fertilidade- existem evidências de que pessoas obesas são mais férteis. Se a obesidade possuir um fator genético, mais obesos terão espaço no meio das populações;
10-Casamento entre obesos- percentualmente, demonstrou-se que homens obesos tendem a se casar mais freqüentemente com mulheres obesas e vice-versa. Isso pode perpetuar o problema tanto genèticamente como sob forma de estilo de vida.

É claro que não podemos correlacionar todos os fatores e, ainda, vários outros poderão ser adicionados à esta lista mas o mais importante é fazermos nossa parte para que consigamos escapar dos fatores de risco ligados à obesidade e, dentre eles, a alimentação adequada e o hábito de nos exercitarmos devem “puxar esta carroça”. Isto é estilo de vida. Os demais fatores que eventualmente se somem aos dois primeiros, serão mais facilmente contornados se dermos mais valor à nossa SAÚDE.


 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br