Ano 9 - Semana 489
 

Os subprodutos de clora-ção utilizados na água para consumo humano podem apresentar fatores de risco à saúde e são uma preocupação mun-dial. Um dos mais perigosos é o trialome-tano, cujo nível aceitável é de até 100 microgramas por litro, e que tem potencial cancerígeno.

A água com muita matéria orgânica tem maior pro-pensão a apresentar sub-produtos. Para evitar a formação, é necessário utilizar técnicas adequa-das de tratamento, que permitem a redução des-ses subprodutos a níveis aceitáveis pelo padrão de potabilidade vigente no Brasil.

A substituição do cloro por outro desinfetante, como o carvão ativado, apre-sentou bom resultado.
 


 

12 de agosto, 2006
 

Cólera

Trata-se de uma doença diarréica infecciosa aguda, causada pelas bactérias Vibrio cholerae O1 e O139. Diarréia e vômito são as manifestações clínicas mais freqüentes. Os principais sinais e sintomas são variados, e vão desde infecções assintomáticas até casos graves, com diarréia abundante e incontrolável, que pode levar a um estado de desidratação grave e choque.

Na forma leve (mais de 90% dos casos), o quadro costuma iniciar de maneira insidiosa, com diarréia discreta, sem distinção das diarréias comuns. Também pode apresentar vômitos. Em crianças, pode acompanhar-se de febre. Nas formas mais graves, menos freqüentes (menos de 10% do total), o início é súbito, com diarréia aquosa, abundante e com inúmeras dejeções diárias. Nesses casos, outras manifestações clínicas podem ocorrer, tais como sede, rápida perda de peso, prostração, olhos fundos com olhar parado e vago e cãibras. Ao perceber alguns destes sintomas, um médico deve ser consultado.

A ingestão de água ou alimentos contaminados por fezes ou o contato com o vômito do portador da bactéria que causa a cólera são as principais formas de infecção. Os alimentos e utensílios podem ser contaminados pela água, pelo manuseio ou por moscas. Peixes, crustáceos e frutos do mar, provenientes de águas contaminadas, comidos crus ou mal cozidos, têm sido responsabilizados por epidemias e surtos isolados. Também pode ocorrer a propagação pessoa a pessoa, por contato direto.

As principais medidas de controle da cólera são:

● Consumo de água de boa qualidade e em quantidade suficiente;
● Destino e tratamento adequado dos dejetos humanos;
● Destino adequado do lixo;
● Bons hábitos de higiene pessoal e na manipulação dos alimentos.
 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br