Ano 10 - Semana 492

ARQUIVO


Doenças auto-imunes

são caracterizadas pelas respostas imunológicas do organismo direcionadas contra certos tecidos do próprio organismo que re-sultam em inflamação e destruição. Grande núme-ro de doenças degenera-tivas são causadas por esse tipo de mecanismo.
Disfunções imunológicas podem causar danos às articulações resultando em artrite reumatóide; ou às ilhotas pancreáticas pro-dutoras de insulina, levan- do a diabetes.
Existem vários tipos de do enças degenerativas cau sadas por alterações do sistema imunológico que atacam células normais do corpo. Qualquer doença é considerada auto-imune se anticorpos de células citotóxicas reagem com os antígenos nos tecidos do próprio corpo. Doenças tais como lupus eritemato so, hepatite auto-imune, diabetes, pancreatite e artrite reumatóide podem se desenvolver e se tor narem graves e que, para serem controladas, reque- rem medidas drásticas de tratamento.
Alergia também é o resul tado de um distúrbio imu nológico assim como o é a esclerose múltipla.
Sempre que houver queda das defesas imunológicas, o organismo poderá ser vítima de alguma doença auto-imune. A principal causa da queda das defe sas é o stress emocional que poderá ser de grande intensidade ou de duração prolongada. Dependendo da propensão do organis mo, o fenômeno poderá se instalar.

 


 

   02 de setembro, 2006
 

Osteoartrite

10 dicas para proteger suas juntas

osteoartrite

Dr. José Eid

A osteoartrite é a forma mais comum de artrite, acometendo cerca de 21 milhões de americanos e cerca de 1,2 milhão de brasileiros. A doença atinge cartilagens, ligamentos e ossos, acometendo três vezes mais mulheres do que homens e provocando deformidades que comprometem a movimentação da pessoa.

“Embora se acreditasse na doença como uma conseqüência do processo de envelhecimento, hoje a Ciência pesquisa outras causas como defeitos musculoesqueléticos, defeitos genéticos, obesidade ou mesmo excesso de uso”.

Enquanto não se tem como evitar ou curar a osteoartrite, o especialista aponta dez maneiras de proteger as juntas e garantir os movimentos:

1. Se esforce para manter o peso ideal. Quanto mais acima do peso você está, mais você estressa suas juntas, especialmente quadril, joelhos, costas e pés.

2. Mexa-se. Os exercícios protegem as juntas ao fortalecer os músculos que as envolvem. Mas, cuidado para não se animar em excesso, porque o excesso de uso também pode comprometer ossos, ligamentos e cartilagens.

3. Cultive uma boa postura. Adotar uma boa postura ao permanecer em pé, sentado ou enquanto está trabalhando ajuda a proteger pescoço, coluna, quadril e joelhos.

4. Equilibre suas atividades. Alterne períodos de atividade com períodos de descanso. Mais uma vez, o exagero pode custar caro à saúde.

5. Preste atenção em seu corpo. Não ignore a dor. Se após exercitar-se você sentir uma dor persistente, é sinal de que acabou passando dos limites e estressando as juntas.

6. Nada de ficar parado. Não é porque dói que você deve preferir ficar estático. Mudar de posição regularmente ajuda a diminuir o desconforto de músculos e juntas.

7. Não abuse no fim de semana. Nada de se dispor a praticar atividades para as quais seu corpo não está preparado. Se vai iniciar algo novo, comece devagar até sentir que seu corpo está seguro e não reagirá aos abusos.

8. Diga sim aos acessórios. Os jovens não devem deixar joelheiras, capacetes e cotoveleiras em cima do armário do quarto. Esses acessórios devem ser usados nas atividades para as quais foram desenvolvidos. Já os idosos não deveriam dispensar o apoio de uma bengala sempre que estiverem com dificuldades de locomoção.

9. Peça ajuda. Não tente fazer tudo sozinho ou carregar volumes pesados sem pedir ajuda de alguém.

10. Busque novos tratamentos para sua dor. A Terapia de Sinais Pulsados (PST), por exemplo, estimula diretamente o metabolismo celular dos tecidos, quebrando o círculo vicioso produzido pela artrose. Emitindo tênues impulsos, como aqueles que ocorrem em uma articulação sadia, esse novo tratamento, além de não-invasivo, não têm nenhum efeito colateral ou contra-indicação. Também é indolor e apresenta redução significativa da dor articular em mais de 80% dos casos.
 

Dr. José Eid, médico ortopedista
especialista no tratamento de artrite




 


 


    Direção
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br