Ano 10 - Semana 495

 

A melhor maneira de adiar o envelhecimento é com a restrição dietética, isto é, reduzindo o número de calorias na dieta sem di-minuir a ingestão de nutrientes essenciais.
Recente pesquisa sugere que o efeito antienvelhe-cimento da restrição ali-mentar é atribuído à redu-ção do dano oxidativo às células e tecidos.
Em outras palavras, redu-zindo-se o número de ca-lorias na dieta, consegue-se diminuir a formação dos radicais livres e seu potencial destrutivo sobre as células.
Frutas, verduras, legumes e cereais integrais são essenciais..
(Sergio Vaisman)


 


 

23 de setembro, 2006
 

Jaime de Queiroz

Perigos da reposição hormonal


O uso indiscriminado de hormônio é muito perigoso. A mulher deve ser examinada pelo médico antes de iniciar qualquer tipo de tratamento. Ele irá avaliar a real necessidade do uso do medicamento à base de hormônio, verificando, acima de tudo, se a sua paciente tem condições de saúde mamária e uterina, para que o remédio, em vez de beneficiar a pessoa, venha produzir malefícios que variam desde sangramentos exagerados até alterações mais sérias como câncer de endométrio e câncer de mama.

Os benefícios da terapêutica são avaliados a curto, médio e longo prazos, por isso a necessidade de uma vigilância médica a esses pacientes que se propõem a usar esse tipo de tratamento. A Terapêutica de Reposição Hormonal (TRH) a curto prazo pode melhorar os sintomas neuroendócrino, tais como fogachos (ondas de calor), sudorese, irritabilidade, depressão, esquecimento e dificuldade de concentração.

A médio prazo, melhora o atrofismo urogenital (condições do aparelho urinário), dos quais os principais são a incontinência urinária de esforço sem causa anatômica, síndrome uretral, secura vaginal e dispareunia (dor durante o ato sexual). Já o tratamento a longo prazo previne doenças silenciosas, tais como as doenças cardiovasculares (infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral), osteoporose e doenças do sistema nervoso central (Alzheimer). Portanto, melhorando a qualidade de vida da mulher.

Pode-se iniciar a TRH quando houver manifestações de hipoestrogenismo (falta de hormônio feminino). Existe risco e ele deve ser levado em consideração. Parece, no entanto, haver discreto aumento no risco relativo, mormente entre usuários por mais de 10 anos. Não se deve recomendar rotineiramente a TRH em mulheres com hiperplasia atípica (alterações mamárias) ou risco genético familiar (pacientes com história de câncer de mama na família e de 1º grau - mãe, irmã e filha, com diagnóstico antes dos 50 anos).


Dr. Jaime de Queiroz é oncologista, mastologista e ginecologista

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br