Ano 10 - Semana 512
 

Um grupo de cientistas descobriu que os efeitos da ingestão de chá, que é benéfica para o combate a doenças cardiovasculares, podem ser anulados caso a bebida seja consumida com leite.
Os especialistas, que pu-blicaram suas conclusões no último número da revista científica European Heart Journal, estudaram a reação de dezesseis mulheres pós-menopausa a essa bebida.
 


 

  20 de janeiro, 2007
 

Cuide da saúde antes de viajar para longe

 

Viagens de férias não devem preocupar apenas pelos atrasos nos aeroportos e filas nos terminais rodoviários. Elas também podem oferecer riscos à saúde.


De acordo com o radiologista Renato Anthero Fernandes, da URP Diagnósticos Médicos, a “Síndrome da Classe Econômica” oferece riscos reais. “A TVP (trombose venosa profunda) está associada a vôos longos, tendo sua origem na imobilização prolongada do passageiro. O fluxo sangüíneo se torna mais lento e favorece a formação de trombos no interior das veias profundas das pernas.”

Fernandes explica que o maior risco consiste na migração desse trombo para as artérias pulmonares – situação emergencial que pode causar a morte do passageiro. “Cabe ressaltar que não são apenas as longas viagens de avião que apresentam riscos ao passageiro que passa muitas horas sentado. Viagens de ônibus ou automóvel para regiões distantes também podem ser arriscadas caso o motorista não dê aquela paradinha habitual a cada duas horas de estrada”.

Ainda de acordo com o médico, várias doenças ou condições preexistentes podem aumentar o risco de TVP. “São chamadas trombofilias, podendo ser divididas em congênitas ou adquiridas. As congênitas englobam uma série de doenças que alteram o processo de coagulação do sangue. Já as adquiridas incluem problemas circulatórios e renais, gravidez, obesidade, lúpus, uso de quimioterápicos, anticoncepcionais, reposição hormonal, cirurgias ortopédicas recentes etc.”


Prevenção é (quase) tudo!



A melhor forma de evitar a Síndrome da Classe Econômica é fazer os exames preventivos. Fernandes diz que conhecer o histórico da saúde do paciente e fazer um exame físico minucioso são os primeiros passos.

“Além da análise laboratorial dos elementos sangüíneos responsáveis pela coagulação, há outros exames que podem ajudar a afastar causas de trombofilias adquiridas, como o ultra-som com Doppler colorido venoso dos membros inferiores, avaliação cardíaca clínica e complementar – incluindo radiografia do tórax, ecocardiograma e eletrocardiograma –, e avaliação da função renal”, diz o médico, citando as principais medidas.

Pacientes de risco são orientados a utilizar meias elásticas para compressão dos membros inferiores, andar a cada duas horas durante o vôo, e, em casos específicos, usar anticoagulantes prescritos por médicos.



Dr. Renato Anthero Fernandes, médico radiologista
da URP Diagnósticos Médicos (www.urp.com.br)



 

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr