Ano 11 - Semana 533
 


Álcool é mais lesivo às mulheres

Estudo realizado na Rús-sia confirmou que os efeitos danosos do álcool sobre o cérebro afeta as mulheres mais rapida-mente do que os homens.
Pesquisadores avaliaram 100 alcoólatras com idades entre 18 e 40 anos e 68 não-alcoólatras para completarem os estudos sobre as funções cere-brais. As conclusões foram de que as mulheres usuá-rias da bebida apresen-taram performances pio-res se considerados testes de memória, flexibilidade cognitiva e equilíbrio es-pacial, além da capaci-dade de resolução de problemas.
As mulheres metabolizam o álcool mais rapidamente que os homens por pos-suírem menos enzimas degradadoras dessa subs-tância.
(fonte: revista Alcoholism: Clinical and Experimental Research, maio de 2007)
Dr. Sergio Vaisman

 


 

     16 de junho, 2007
 

ASMA


A chegada do frio, o ar seco e a tendência em permanecer em locais fechados e pouco ventilados aumentam a incidência de doenças respiratórias, principalmente as complicações e crises em pacientes com asma e rinite alérgica. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que existam entre 100 e 150 milhões de asmáticos em todo o mundo e que este número está aumentando. Um importante fator de risco para a asma é a rinite alérgica, pois onde há alta incidência de asma também é alta a de rinite - fato a ser explicado pela grande correlação entre as duas patologias.

De acordo com o Sistema Único de Saúde (SUS), cerca de 350 mil brasileiros asmáticos são internados anualmente, o que coloca a asma entre as principais causas de internação no País. A gravidade da doença pode ser percebida por outro número ainda mais alarmante: seis pessoas morrem no Brasil, por dia, vítimas da asma, um reflexo da falta de tratamento preventivo e apropriado.

Tratamento

Para evitar o agravamento destas doenças é preciso conscientizar o paciente e sua família de que a asma e a rinite são doenças crônicas, mas que podem ser controladas com um tratamento adequado e com o controle dos fatores externos que podem desencadear uma crise, como exposição à poeira, fumaça, perfumes e fatores alergênicos em geral.

O tratamento para asma deve ser analisado individualmente, com medicamento adequado a cada paciente. Os pesquisadores definem asma e rinite como uma doença da via aérea única, isto é, o tratamento simultâneo da asma e rinite tem sido defendido como a estratégia ideal para prevenir as inflamações que seguem do nariz, passando pela faringe, laringe, traquéia seguindo até os brônquios.

Segundo a Dra. Iara Nely Fiks, doutora em pneumologia pela Faculdade de Medicina da USP, membro da Sociedade Paulista de Medicina e membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia, “o nariz tem a função de filtrar, aquecer e umidificar o ar que respiramos e que vai direto para o pulmão. Se este ciclo for prejudicado pela rinite, o oxigênio segue impuro para os pulmões, agravando o quadro de asma”, explica a especialista sobre a importância de um tratamento conjunto das duas doenças.

Essa estratégia, no entanto, não é apenas a ideal, mas já é possível tratar asma e rinite alérgica simultaneamente com uma classe de medicamentos chamados anti-leucotrienos. “Os antileucotrienos são capazes de inibir a reação inflamatória da asma, diminuindo bastante os efeitos colaterais do tratamento. Além disso, são os únicos antiinflamatórios das vias aéreas que não possuem cortisona.”, afirma a pneumologista.

Enquanto os broncodilatadores usados nas bombinhas ou inaladores são utilizados para aliviar os sintomas durante uma crise de asma, os antileucotrienos servem como medicação antiinflamatória para controle da doença no longo prazo. De acordo com especialistas, o problema de não utilizar um remédio que controle a inflamação da via aérea é que o paciente pode ter mais crises e elas podem ser mais graves.

Sobre asma e rinite alérgica

A asma (ou bronquite) é uma doença causada por uma reação exagerada do sistema imunológico na presença de partículas como ácaros, fungos, polens, pêlo animal e fumaça e se manifesta geralmente na infância. Os principais sintomas da asma são: aperto no peito, chiado, tosse e falta de ar. O paciente asmático precisa estar consciente sobre os riscos dessa doença, bem como sobre a importância de um tratamento preventivo em longo prazo.

A rinite é uma doença inflamatória da mucosa de revestimento da cavidade nasal e atinge entre 25% e 30% da população. Pode ser infecciosa, causada por vírus (como exemplo), ou não infecciosa (alérgica), sendo que os principais sintomas da rinite são: coriza, obstrução das fossas nasais (nariz entupido) e prurido nasal.

A rinite alérgica é um importante fator de risco para a asma, uma vez que cerca de 80% dos pacientes asmáticos sofrem também de rinite alérgica e as pessoas que têm rinite alérgica apresentam três vezes mais chances de desenvolver asma.

 

Se você tem um familiar portador de asma, confira algumas orientações para controle ambiental:
 
 - Evite ter em casa carpetes, tapetes, cortinas e móveis estofados de tecidos, que se constituem em depósitos de poeira.
 
 - O colchão e o travesseiro devem ser revestidos com material sintético impermeável (plástico, emborrachado ou napa).
 
 - Não utilize travesseiros de lã, chenile ou roupas desses materiais. Use colcha de piquê ou edredon de algodão.
 
 - As paredes do quarto e dos demais cômodos devem ter pintura lavável. Mantenha o quarto bem arejado, evitando o mofo.
 
 - Limpe a casa diariamente, em especial, o quarto, com pano úmido e aspirador de pó. Não utilize vassouras, espana-dores e panos secos.
 
 - O paciente não deve permanecer em casa durante a limpeza, nem participar de qualquer atividade a ela relacionada.
 
 - Evite o contato com animais de pêlo ou penas, como: cães, gatos e pássaros. Animais de estimação ideais para crianças com alergia são: peixes e tartarugas.
 
 - Evite brinquedos de pano e de pelúcia.
 
 - Mantenha armários e depósitos de brinquedos limpos e arejados.
 
 - Não utilize inseticidas, espirais contra insetos, tintas, desodorantes ambientais e outras substâncias de odor ativo.
 
 - Não fume dentro de casa, evitando assim a exposição da criança.
 
 - Elimine baratas.
 
 - Não utilize vaporizador ou umidificador. Eles estimulam o crescimento de ácaros, fungos e bactérias.
 
 - Tenha vida ao ar livre e pratique esportes.

 

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr