Ano 11 - Semana 534
 


Cólicas Abdominais

As cólicas e dores abdo-minais estão muitas vezes relacionadas ao estilo de vida. Causas comuns co-mo estresse, intolerância a certos tipos de alimen-tos, alto teor de gordura, alimentos condimentados e ingestão excessiva de bebidas alcoólicas podem aumentar sua incidência.
Nas mulheres, as cólicas menstruais são as mais comuns.
Nos homens, o estresse e a má-alimentação são os maiores vilões.
Para a melhora, os médi-cos recomendam a combi-nação da mudança no estilo de vida e o uso de medicamentosanti espas-módicos para alívio rápido, seguro e eficaz.

 


 

    23 de junho, 2007
 

Médicos se posicionam formalmente contra o

TÊNIS COM RODINHAS
 

Lançado há alguns meses, o tênis com rodinhas caiu no gosto das crianças com menos de seis anos, embora ainda deixe muitos pais preocupados. Ciente de que o calçado está sendo utilizado por crianças de 70 países, a Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos acaba de lançar um folheto que alerta para a importância de as crianças utilizarem capacete e protetores nos pulsos, joelhos e cotovelos sempre que estiverem usando os tênis com rodinhas.

“Como esses calçados são vendidos em lojas de departamentos, os pais geralmente acreditam que não oferecem riscos a seus filhos”, diz o ortopedista pediátrico James Beaty – presidente da Academia.

Na opinião do médico ortopedista Luiz Antonio de Azevedo Lage, desde o lançamento do tênis com rodinhas a classe médica acreditava que o calçado podia se transformar em um brinquedo perigoso.

“O grande problema é que o calçado continua sendo vendido como inofensivo, quando pode causar lesões tão importantes quanto o ciclismo ou o skatismo, por exemplo. Pior ainda é o fato de que, em qualquer esporte, há um tempo de aprendizado que costuma receber a orientação e atenção dos pais ou responsáveis. Isso não ocorre com o tênis-patins, já que ao vestir o calçado, a criança veste também o brinquedo, assumindo seus riscos”, diz Lage.

Para o especialista, o modismo tem levado cada vez mais crianças para o Pronto Atendimento dos hospitais. “Muitas vezes elas testam os patins longe da assistência dos pais, sem avaliar riscos ambientais como irregularidades no piso e movimento de pedestres ou automóveis, o que pode causar graves acidentes e lesões diversas, principalmente em membros superiores, que são as fraturas mais comuns em crianças”.

Lage defende que mais vale dar um par de patins à criança e ensiná-la a usar de forma adequada e protegida, vestindo os equipamentos de segurança adequados, do que ‘embarcar’ em modismos que podem comprometer os movimentos de alguém que não tem capacidade de decidir sozinho.



Dr. Luiz Antonio de Azevedo Lage, médico ortopedista da Clínica Lage Ortopedia de Ponta e membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

 

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr