Ano 11 - Semana 540
 

Doença bipolar

As pessoas que sofrem de doença bipolar sofrem de uma rápida diminuição do tamanho do cérebro, des-cobriram investigadores da Universidade de Edimburgo, na Escócia.

Pela primeira vez, o es-tudo demonstra que a doença bipolar, caracteri-zada por períodos de depressão e períodos de mania, está associada à diminuição de tecido cere-bral, sendo que a altera-ção vai piorando sempre que existe uma crise.

A descoberta comprova concentração de perda de massa cinzenta em zonas do cérebro responsáveis pelo controlo da memória, reconhecimento facial e coordenação.

"Esta descoberta tem im-plicações não só na forma como pesquisamos a do-ença, mas também como será tratada. Pela primeira vez, demonstramos que, à medida que as pessoas com doença bipolar vão envelhecendo, perdem-se pequenas parcelas do cé-rebro associadas à memó-ria e coordenação de pensamentos e ações.
A quantidade de tecido cerebral que se perde é maior em pessoas com múltiplos episódios da doença e está associada ao declínio de algumas áreas da capacidade mental", explica Andrew McIntosh, líder do estudo.

 

 


 

 

    04 de agosto, 2007
 

MASTOLOGIA

A OPORTUNIDADE DO DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER DE MAMA


No Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres. Se diagnosticado no início, tem ótimas chances de cura. A investigação precoce da doença permite tratamento com altos índices de cura.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o número de casos novos de câncer de mama esperados para o país em 2006 era de 48.930, com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. Na região Sudeste, ele é o mais incidente entre as mulheres com um risco estimado de 71 casos novos por 100 mil. Se diagnosticado em fases iniciais, tem ótimas chances de cura, com uma sobrevida de cinco anos em até 97% dos casos.

Por isso, o Hospital San Paolo investe no serviço de Mastologia com o intuito de promover a prevenção adequada, o diagnóstico precoce e, assim, proporcionar um alto índice de cura da doença. A área é dirigida pelo Prof. Dr. Carlos Ruiz, atual presidente da Sociedade Paulista de Mastologia, e conta com profissionais de primeira linha para o atendimento dos casos.

O Dr. Celso Luiz Borrelli, coordenador do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do hospital, explica que o diagnóstico precoce do câncer de mama além de permitir a cura da doença, permite tratamentos cirúrgicos conservadores, onde é possível preservar a maior parte da mama afetada. O auto-exame das mamas é recomendado para mulheres acima de 25 anos. A partir dos 35, além do exame das mamas, recomenda-se a realização de exames de imagem, como a mamografia e a ultrassonografia em caráter periódico.

Diante de alguma anormalidade nos exames a paciente no Hospital San Paolo é encaminhada ao mastologista e este irá iniciar uma investigação mais detalhada que pode incluir coleta de material suspeito por agulha fina ou biópsia com agulha grossa orientada por ultra-som.

Nos casos mais avançados, quando a retirada total da mama é indicada, a equipe de mastologia conta com o auxílio da cirurgiã plástica Dra. Ana Cláudia, especialista em reconstrução das mamas após o tratamento do câncer.


Fatores de risco

Estudos científicos mostraram que existem alguns fatores que aumentam a chance de aparecimento da doença. Um destes fatores é a idade, pois a maioria dos tumores de mama aparecem em mulheres acima de 50 anos. Mulheres com longa história menstrual (iniciaram a menstruação antes dos 12 anos ou tiveram menopausa após os 55 anos), obesidade, e uso inadequado de hormônios são mais propensas a apresentar essa patologia. Antecedentes pessoais ou familiares de câncer de mama constituem um dos mais importantes fatores de risco.


Quando o diagnóstico é tardio


As pacientes que têm um diagnóstico tardio (tumores acima de 2 cm) são tratadas de forma mais agressiva, seja pela cirurgia ou pela utilização de quimioterapia prévia à cirurgia.


Linfonodo Sentinela


O tratamento cirúrgico do câncer de mama, além da abordagem da glândula, inclui a retirada dos linfonodos (gânglios) da axila do mesmo lado da mama doente, para avaliar se a doença já migrou. Isso indica a necessidade de terapia suplementar com quimioterápicos. Atualmente, por meio de técnicas específicas, como o estudo do chamado “linfonodo sentinela”, pode-se decidir se o restante dos gânglios deverá ser abordado ou não.

De acordo com o Dr. Celso Borrelli, todo serviço apto ao atendimento à saúde da mulher deve promover o rastreamento do câncer de mama buscando o diagnóstico precoce. “O índice dessa doença só poderá ser reduzido no Brasil, quando for possível proporcionar cuidados de forma ampla e democrática onde todas as mulheres brasileiras possam ter acesso aos exames de rastreamento.”, afirma o especialista.

Uma vez realizado o tratamento cirúrgico e estabelecido o estádio da doença, a maioria das pacientes precisará de tratamento complementar, através da hormonioterapia e/ou da quimioterapia. O Hospital San Paolo também conta com um grupo de oncologistas clínicos para realizar os tratamentos complementares referidos.

Com o objetivo de proporcionar total atendimento à mulher, o hospital já realiza exames de ultra-som para dirigir biópsias de mama e punções de nódulos e permitir o diagnóstico precoce da doença. Em futuro breve o serviço de Radiologia do hospital contará com o serviço de mamografia.



Dr. Celso Borrelli é ginecologista,
Chefe do Serviço de Onco-Ginecologia do Hospital Brigadeiro e
Coordenador do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital San Paolo.

 

VIVER ESTÁ NA MODA

Instituto Paulista de Cancerologia lança em agosto campanha pela
prevenção ao câncer de mama

LUIZA BRUNET É MADRINHA DO EVENTO.



O Instituto Paulista de Cancerologia lançará, dia 31 de agosto, a campanha nacional “VIVER ESTÁ NA MODA, que visa mostrar que a informação e a prevenção são o melhor caminho na luta contra o câncer. O lançamento será realizado durante o “Encontro Nacional da Mulher Moderna – Só Para Mulheres”, que acontecerá no Palácio das Convenções do Anhembi de 31 de agosto a 3 de setembro.

Tendo como madrinha a modelo Luiza Brunet, VIVER ESTÁ NA MODA levará ao Anhembi um desfile com a participação de seis mulheres com histórias de vida diferentes, porém, com algo em comum: o câncer de mama, a superação e a vitória. São mulheres comuns, profissionais, esposas e mães que querem dar o exemplo de vida para outras mulheres e gerar um efeito multiplicador, uma consciência preventiva na sociedade. Na passarela de VIVER ESTÁ NA MODA a vitória e a certeza de viver são as grandes tendências. A apresentação será de Luiz Ricardo e Solange Frazão.

Cada uma das mulheres também será clicada por um fotógrafo experiente e renomado, gerando uma exposição fotográfica que vai acontecer no mês de novembro no Espaço IPC. Jornalistas convidados também irão contribuir com o projeto, com textos narrativos sobre cada uma das mulheres. Uma prévia da mostra fotográfica estará em exposição no congresso do Anhembi.

O IPC também apresentará uma série de conferências sobre prevenção do câncer, humanização da medicina oncológica e nutrição na prevenção do câncer – com a arte da chef de cozinha Fabiana Caffaro.

Haverá ainda uma apresentação de dança do ventre – “A Dança do Ventre na auto-estima e na sexualidade da mulher com câncer de mama” – com participação e alunas do ipc e profissionais de dança sob a coordenação do Departamento de Fisioterapia e Psico-oncologia do Instituto. O estande do IPC no Congresso disponibilizará informações ao público profissionais de saúde sobre prevenção do câncer.

A campanha foi idealizada pelo cirurgião cancerologista Ricardo Antunes, Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia (órgão maior da cancerologia no Brasil), Diretor do Instituto Paulista de Cancerologia e cirurgião dos hospitais Albert Einstein, Samaritano, Oswaldo Cruz, Servidor Público Estadual e Bandeirantes. É uma iniciativa do IPC com apoio da Sociedade Brasileira de Cancerologia. “Pretendemos mostrar que mulheres que tiveram câncer de mama em algum momento da vida superaram esta fase e hoje podem viver com qualidade, resgatar os seus sonhos e dividir esta experiência de forma positiva e motivadora com a sociedade”, ressalta Ricardo Antunes.

A campanha não quer se restringir aos eventos de agosto e novembro. O objetivo é que a prevenção do câncer seja assunto para os 365 dias do ano. A organização de VIVER ESTÁ NA MODA permanecerá disponível para levar a discussão do assunto para dentro das empresas.

Em agosto de 2006, a primeira edição de VIVER ESTÁ NA MODA foi sucesso absoluto dentro do Congresso da empresa de cosméticos Vitaderm. As mulheres e a equipe médica do Instituto Paulista de Cancerologia emocionaram um público de 3 mil pessoas no grande auditório do Anhembi.


Um mal que atinge milhares no Brasil

O câncer de mama atinge 50 mil mulheres no Brasil a cada ano. Este número está crescendo, principalmente em mulheres jovens. Fatores como tabagismo, sedentarismo, má alimentação e estresse contribuem para o aumento deste número. Se descoberto no estágio inicial, as chances de cura aumentam exponencialmente. As mulheres devem fazer o auto-exame regularmente e mamografia a partir dos 30 anos.



 

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr