Ano 11 - Semana 543
 


Osteoporose

Atualmente os pacientes portadores da osteopo-rose contam com o Ácido Zolêndronico (Aclasta), único bisfosfonato de administração anual, efi-caz na redução da inci-dência de fraturas ósseas em mulheres com osteo-porose pós-menopausa. E os pacientes com fraturas podem contar com a cifoplastia (intervenção ci-rúrgica que proporciona o alívio imediato da dor e corrige a lesão da vérte-bra).
Dra. Evelyn Goldberg

 

 


 

 

    25 de agosto, 2007
 

Auto-medicação
perigo à vista


Quem pratica a auto-medicação não sabe, por exemplo, que uma mistura inocente entre um antiinflamatório e um descongestionante nasal pode provocar uma parada cardíaca. Mulheres devem ficar ainda mais atentas. Aquelas que tomam anticoncepcional podem ficar grávidas sem saber o porquê. Basta ingerir o anticoncepcional combinado com antibióticos e ter relações no período fértil para que a pílula perca sua eficácia.

No dia-a-dia, essas combinações perigosas são mais do que comuns e para os especialistas elas têm um nome: interação medicamentosa. Quando tomados combinadamente as drogas podem causar reações drásticas no organismo e em alguns casos até mesmo a morte. “Os efeitos adversos de um medicamento que constam na bula, podem aparecer quando tomados sozinhos, mas não são os mesmos em caso de combinação com outros medicamentos”, explica a professora de Farmacologia Clínica e Hospitalar da UnB, Patrícia Medeiros de Souza.

O maior problema, segundo a professora, é a venda livre de analgésicos, antiinflamatórios, descongestionante nasal e relaxante muscular. “A pessoa vai ao médico e não fala que está tomando os remédios e ao combiná-los pode ocorrer a reação adversa”, conta a Patrícia , que já atendeu um bebê de três meses que teve uma parada cardíaca após fazer uma nebulização com broncodilatadores. “Esse procedimento pode levar ao aumento da freqüência cardíaca, principalmente se ele tiver utilizando medicamentos contra cólica associados. Nós não sabíamos que a criança estava usando antiespasmódico (contra cólica) e descongestionante nasal, o que dobrou a freqüência cardíaca do bebê e levou a parada”, explica.

A pesquisadora ainda alerta que o ideal é não se automedicar e quando for ao médico, relatar todas as substâncias que está tomando, seja uma simples aspirina ou descongestionante nasal até chás de ervas.

Algumas interações entre medicamentos
Fluorquinolonas (Ciprofloxacina ou Norfloxacina antibióticos para tratamento de infecções) + anti-ácido (medicamentos para azia):
a fluorquinolona perde em torno de 70% da eficácia com a combinação.

Dimenidrinato (remédio para enjôo)+ descongestionante nasal:
também pode aumentar a freqüência cardíaca e pode gerar uma parada.

Anticoncepcional + antibióticos:
o antibiótico reduz drasticamente o efeito do anticoncepcional.

Antiespasmódicos(contragases): + broncodilatadores (para asma), + descongestionante nasal, + antidepressivos, + inibidores de apetite:
Combinações de dois ou mais desses medicamentos causam maior excitabilidade do Sistema Nervoso Central, boca seca, constipação do intestino e aumento da freqüência cardíaca.

Antiinflamatório + diurético:
o antiinflamatório inibe o efeito do diurético

Chá de camomila + Acido acetilsalicílico:
pode levar a desagregação plaquetária (sangramento).

Atenol (remédio para pressão alta)+ suco de laranja:
 diminui em 49% a eficácia do remédio para abaixar a pressão.

Os chás não devem ser tomados junto com medicamentos.

Crianças
O metabolismo de uma criança só estará completo em torno dos sete anos. Não basta reduzir as doses dos adultos para as crianças, mas respeitar a idade e as características do organismo de cada uma. Até os dois anos, evitar o uso de descongestionante nasal, pois pode provocar parada cardíaca.

Idosos
A absorção dos medicamentos é a mesma do adulto. O metabolismo e a função renal estão diminuídos, sendo necessário a diminuição da dose ou o aumento do intervalo entre as doses.

Adulto
O adulto normal e sadio tem menos chances de sofrer com as interações prejudiciais.


Dicas Gerais:

- Evitar a automedicação;
- Ler sempre a bula e principalmente as reações adversas;
- Evitar produtos naturais (como chás tomados junto com medicamento, cápsulas de cáscara sagrada ou de castanha da índia), que não forem prescritos por médicos, pois eles também podem ocasionar interações;
- Ingerir os medicamentos preferencialmente com água, pois com outras substâncias pode haver combinações que provocam interações não desejáveis;
- Não partir as drágeas ao meio (medicamento em cápsula): elas são feitas para passarem pelo estômago e só agirem no intestino. Ao parti-las, o ph ácido do estômago (ph 2 a 3) leva a perda da eficácia do medicamento. A drágea precisa de um ph em torno de 5 para ser absorvida, no caso o do intestino;
- Não triturar os comprimidos e colocá-los debaixo da língua: o comprimido é para ser absorvido pelo estômago, ao colocá-lo debaixo da língua ele não terá o efeito desejado. Alguns remédios precisam de ph ácido para serem absorvidos e o da língua é neutro.

 

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr