Ano 11 - Semana 543
 


Osteoporose

Atualmente os pacientes portadores da osteopo-rose contam com o Ácido Zolêndronico (Aclasta), único bisfosfonato de administração anual, efi-caz na redução da inci-dência de fraturas ósseas em mulheres com osteo-porose pós-menopausa. E os pacientes com fraturas podem contar com a cifoplastia (intervenção ci-rúrgica que proporciona o alívio imediato da dor e corrige a lesão da vérte-bra).
Dra. Evelyn Goldberg

 

 


 

 

    25 de agosto, 2007
 

Mantendo a boa forma no inverno


Época mais fria do ano não é desculpa para quilinhos extras, já que o inverno
acelera o metabolismo e, portanto, propicia a queima de mais calorias

 

É verdade que muitas pessoas comem mais e adquirem quilos durante o inverno, mas dizer que durante esse período do ano temos a necessidade natural de acumular gorduras para nos aquecer e que o nosso metabolismo fica mais lento é mito. Não se deve colocar a culpa dos pratos cheios na temperatura. Segundo a Dra. Maria del Rosário Zariategui de Alonso, médica nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), não existem evidências que comprovem uma relação entre o inverno e o aumento de peso. Ela só admite uma exceção: “Existem pessoas que sofrem de um distúrbio sazonal afetivo, popularmente chamado de “depressão do inverno”, que faz com que a redução de horas de claridade durante esse período cause um consumo exagerado de carboidratos e chocolates”, informa.

Em geral, ao contrário do que se imagina, o frio ajuda o organismo a produzir mais calor e acelera o metabolismo para manter a temperatura do corpo. Tudo isso ajuda na queima de calorias e faz com que o inverno seja o período ideal para o início de uma dieta. O efeito "sanfona" também é um dos vilões dessa fase do ano, considerando que as pessoas engordam no inverno e tendem a emagrecer no verão, quando retornam à vida normal e retomam suas atividades físicas e dietas.

Embora o clima mais frio seja propício para relaxar e tirar folga das atividades rotineiras, o exercício físico ainda é um dos recursos mais recomendados para um constante combate ao aumento de peso, no inverno ou no verão. Uma dieta específica para a estação também ajuda. De acordo com a Dra. Maria del Rosário, as pessoas devem consumir alimentos de baixo índice glicêmico, como as leguminosas secas (ervilhas, feijões, grão de bico e lentilhas), e apostar nas preparações quentes, como sopas, chás e frutas aquecidas, pois esses alimentos interagem na produção de saciedade. “Leite e iogurte desnatados, assim como os cereais, também são uma excelente opção”, indica.

Manter a forma durante o inverno é um grande desafio. A recompensa do esforço é a manutenção de um corpo saudável e bonito para ser exibido no verão, quando os casacos que disfarçam as gordurinhas indesejáveis ficam esquecidos dentro do guarda-roupa.

Dicas para um inverno saudável:
Para conquistar o objetivo do peso ideal durante os meses de inverno, a atividade física deve ser associada a uma dieta equilibrada. Montamos um quadro para auxiliar na escolha dos alimentos mais indicados para acompanhar a prática de exercícios.

Antes dos exercícios:
Os alimentos mais indicados para ingestão antes da atividade física são aqueles ricos em carboidratos e com baixo índice glicêmico, porque são absorvidos de forma lenta pelo organismo e evitam quedas da taxa de glicose no sangue. É importante lembrar que treinar em jejum é contra-indicado e pode causar fadiga e queda do desempenho

Almoço: a refeição deve ser feita de 3 a 4 horas antes do exercício para permitir a digestão. Sugestões:
- Macarrão ao sugo com salada verde, uma salada de frutas com granola e um suco de laranjas.
- Filé de frango grelhado com arroz integral , salada de alface americana , batatas cozidas e uma fruta de estação.

Lanche:
Entre 2 e 3 horas antes são recomendados:
- Iogurte desnatado com salada de frutas e granola.
- Leite desnatado com aveia em flocos e um suco de laranjas.
- Cereais matinais com iogurte desnatado e uma fruta de estação.

Se a refeição for apenas 1 hora antes da atividade a indicação é:
- 1 barra de cereal
- 1 fruta (maçã,laranja, melancia,etc)


Durante os exercícios:
Os exercícios físicos com duração de mais de uma hora devem ser acompanhados de alimentos ricos em carboidratos, para evitar a fadiga muscular e perda de rendimento. Sugestões:
- 2 bananas
- 2 barras de cereal
- Damasco seco (1 xícara)
- Uva passa (1 xícara)
- 1 bebida isotônica de 600 ml que também aporta carboidratos.


Depois dos exercícios:
Após a atividade física, alimentos com carboidratos devem ser ingeridos para que ocorra uma restauração de estoques de glicogênio hepático, muscular e também dos eletrólitos perdidos pelo suor. Neste caso são necessários os carboidratos de índice glicêmico alto.

Algumas opções são:
- Iogurte com salada de frutas e um suco de laranja.
- Vitamina com leite desnatado com banana e mel.
- Vitamina com leite desnatado com frutas, banana, mamão e laranja.
- Macarrão com molho de carne e duas fatias de pão de trigo.


“A importância da atividade física na preservação da massa magra tem sido avaliada em estudos de meta-análise demonstrando que, quando se associa um programa de exercícios regulares e um plano alimentar com teor adequado de carboidrato, a performance do atleta melhora de forma acentuada” finaliza a Dra. Maria del Rosário.


Sobre a ABRAN

A ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia – é uma entidade médica científica, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina. Fundada em 1973, dedica-se ao estudo de nutrientes dos alimentos, decisivos no diagnóstico, na prevenção e no tratamento da maior parte das doenças que afetam o ser humano, as enfermidades nutricionais. Reúne 3.200 associados, médicos nutrólogos, cientistas, pesquisadores e profissionais na área de nutrição, que atuam no desenvolvimento e atualização científica em prol do bem estar nutricional, físico, social e mental da população.

 

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr